Itamar chama Serra de mentiroso e o acusa de ´bombardear`o Plano Real

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 15 de outubro de 2002 as 20:51, por: cdb

Governador de Minas Gerais, Itamar Franco fez várias críticas nesta terça-feira contra o presidenciável do PSDB, José Serra, acusando-o de disseminar “inverdades” e de ter “bombardeado” o Plano Real no seu início. “Ele nunca apoiou o Plano Real. Posso dizer porque fui presidente da República. Desde o início ele tentou bombardear o plano”, declarou Itamar, ao chegar a Brasília, onde reúne-se nesta quarta-feira com o petista Luiz Inácio Lula da Silva e talvez com o presidente Fernando Henrique Cardoso.

O governador saiu até em defesa do presidente, ainda que de forma indireta. “O candidato Serra quer viver à sombra do presidente, mas tem medo de sair às claras, ao sol, e dizer: ‘Sou o candidato do presidente’. Por que ter vergonha de ser o candidato do presidente?”, questionou o governador mineiro.

Segundo Itamar, “se Serra fosse um homem verdadeiro, deveria defender a política deste governo, ao qual serviu por oito ano, ou dizer o que realmente pensa”.

Ressaltando que não criticava a pessoa de Fernando Henrique, Itamar afirmou que a atual política econômica resultou em “empobrecimento dos municípios, dos Estados e da população”.

Ele acusou o ministro da Fazenda, Pedro Malan, e o Banco Central de tentarem esconder os erros cometidos e obrigar os candidatos à Presidência a seguirem o mesmo caminho. “Há um desvio na rota da ordem econômica que vai precisar ser alterado”, disse o governador. “Chega hora em que o povo quer mudar.”

Cabo eleitoral do presidenciável do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, para quem gravará mensagens de apoio para o horário eleitoral, Itamar prometeu que “em Minas, o Serra vai ter uma derrota pior do que teve no primeiro turno”. Segundo ele, o arco de alianças em torno do petista deve se ampliar neste segundo turno em Minas, onde Lula já obteve 53% dos votos válidos.

O governador disse que o presidenciável do PSDB mente ao dizer que criou os medicamentos genéricos, porque isso teria ocorrido durante seu mandato, através de um decreto. “Ele deveria ter a decência de dizer que os genéricos surgiram no governo Itamar, não pelo Itamar, mas pelo grande ministro da Saúde que foi o Jamil Hadad”, afirmou Itamar.

O ex-presidente também queixou-se da afirmação feita por Serra durante o primeiro turno, atribuindo a Itamar a privatização da Light e da companhia elétrica do Espírito Santo, ocorrida no governo Collor de Mello, quando Itamar era o vice. “Ele falou uma deslavada inverdade, não sei um vocábulo mais forte do que este”, disse. “Eu não privatizei em meu governo nenhuma empresa de energia elétrica.”

Nesta quarta-feira Itamar deve se reunir com o presidente para discutir a situação financeira do Estado. Segundo ele, a dívida de Minas Gerais era de R$ 18 bilhões quando ele assumiu o governo estadual e, quatro anos depois, já chega a R$ 28 bilhões apesar de já ter pago R$ 8 bilhões ao Tesouro Nacional.

Segundo ele, o vice de Lula, José Alencar, tem um projeto que reduz o comprometimento dos gastos dos Estados com a dívida de 13% da receita líquida para 5% e que poderá ser adotado no caso de vitória do petista.