Itália recorre a aviões-tanque para controlar lava do Etna

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de outubro de 2002 as 23:30, por: cdb

Equipes de resgate italianas utilizaram aviões-tanque nesta segunda-feira para tentar controlar os rios de lava expelida pelo vulcão Etna, o mais ativo da Europa, que foi despertado nas primeiras horas de domingo, depois que vários tremores sacudiram a costa leste da Sicília e parte da Itália continental.

O epicentro dos tremores foi situado a apenas 1,5 quilômetro a sudoeste da cratera.

Apesar de o magma estar a uma distância segura de vários povoados da montanha, os tremores aumentaram nesta segunda-feira depois de um novo abalo de 3,8 graus na escala de Richter e cujo epicentro foi localizado sob o vulcão.

Durante o fim de semana, o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia italiano registrou mais de 100 tremores que mediam entre 1,1 e 3,5 graus.

Os habitantes de Linguaglossa, um povoado famoso por sua estação de esqui, cujo nome significa “grande língua de lava”, observavam com nervosismo o brilho das rochas e o líquido fervente que descia pela montanha.

“O que posso dizer? Meu coração está apertado”, disse o prefeito Felice Stagnitta.

Graziella Pappalardo chorava no ombro de um amigo ao ver o restaurante de sua família, o Racabo Refuge, ser rodeado de lava na parte alta da montanha.

“Os serviços de emergência são um desastre, a lava já chegou aqui”, reclamou Pappalardo tentando conter as lágrimas.

O vulcão, o mais alto da Europa, com 3.350 metros de altitude, lançou enormes nuvens de cinza e jatos de lava.

Até o momento não há mortos nem feridos apesar de a lava já ter tragado casas e derrubado cabos elétricos e teleféricos.

Cientistas italianos declararam nesta segunda-feira que o nível de atividade vulcânica ainda era “muito intensa”.