Itália dá último adeus aos 19 soldados mortos no atentado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de novembro de 2003 as 21:51, por: cdb

Dos Alpes à Sicília, a Itália parou nesta terça-feira num clima de grande consternação para se despedir dos 19 soldados mortos no atentado a bomba da semana passada contra a base militar italiana de Nassíria, Iraque, a maior baixa sofrida pelas Forças Armadas italianas desde o fim da 2ª Guerra Mundial.

Em um ato religioso, celebrado pelo cardeal Camillo Ruini na Basílica de São Paulo e televisionado para todo o país, o primeiro-ministro Silvio Berlusconi, lamentou profundamente o episódio, mas deixou claro: o contingente italiano de 3 mil homens continuará em território iraquiano. O presidente Carlo Azeglio Ciampi também estava presente à cerimônia.

A grande maioria dos italianos repudiou a invasão do Iraque, mas o país acabou dividido em relação ao envio de soldados à região. E mesmo depois do atentado, uma pesquisa revelou que cerca de 50% ainda acham que os italianos devem continuar no país árabe.

Quase todos os 20 italianos feridos no atentado assistiram aos funerais. “Nem mesmo os terroristas assassinos devem desviar os cristãos de amar a Deus”, disse o cardeal Ruini em sua homilia.

– Não vamos fugir deles, mas encará-los com nosso valor, energia e determinação, sem odiá-los… Vamos fazê-los compreender que a Itália está comprometida com a coexistência humana e há espaço e dignidade para todos os povos, culturas e religiões – concluiu.