Israel retira colonos de prédio alvo de disputa em Hebron

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 4 de abril de 2012 as 06:53, por: cdb

Israel retira colonos de prédio alvo de disputa em Hebron

JERUSALÉM, 4 Abr (Reuters) – A polícia israelense retirou colonos judeus nesta quarta-feira de um prédio que eles disseram ter comprado de um palestino no coração da cidade de Hebron, na Cisjordânia, um frequente foco de conflito na questão israelo-palestina.

A presença de 15 colonos no edifício de dois andares havia causado divisões dentro do gabinete do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, onde o ministro da Defesa, Ehud Barak, tem pressionado pelo despejo.

Netanyahu pediu a Barak para dar mais tempo aos colonos para que eles pudessem apresentar evidências legais de sua reivindicação de posse do prédio, que foi contestada pelas autoridades palestinas.

Mas as autoridades de defesa disseram que os colonos haviam entrado sem a aprovação das autoridades de segurança israelenses em uma área particularmente sensível na Cisjordânia ocupada. Uma declaração emitida pelo escritório de Barak horas antes do despejo disse que o governo tinha o dever de “defender o Estado de Direito”.

O porta-voz da polícia de Israel, Micky Rosenfeld, disse que a polícia e oficiais paramilitares da polícia de fronteira realizaram a desocupação em conformidade com a decisão do governo. Não houve violência.

Os colonos buscavam expandir um assentamento de cerca de 500 israelenses no coração de Hebron, uma cidade bíblica que é o lar de cerca de 250.000 palestinos e onde a inimizade entre os dois grupos é alta.

Embora politicamente forte, Netanyahu tem enfrentado questões dentro do seu partido Likud e outros parceiros da coalizão de direita sobre seu compromisso com os colonos, muitos dos quais se veem cumprindo o direito judaico de origem às terras bíblicas.

Em um comunicado emitido poucos minutos antes de os colonos serem retirados do prédio, Netanyahu disse que em breve pediria ao governo para conceder estatuto formal a três postos avançados de colonos na Cisjordânia construídos há mais de uma década, sem permissão do Estado.

A medida de Netanyahu para aprovar esses postos levantou especulações de que ele estaria tentando acalmar líderes dos colonos irritados com a desocupação de Hebron.

(Reportagem de Jeffrey Heller)

Reuters