Israel prende mais de 30 autoridades palestinas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de maio de 2007 as 10:21, por: cdb

Mais de 30 integrantes do alto escalão do Hamas foram presos pelas tropas israelenses em operações durante a madrugada desta quinta-feira na Cisjordânia. Documentos e computadores também foram apreendidos.

Entre os detidos, a maioria em Nablus, estão o ministro da Educação palestino, Nasser al-Shaer, dois legisladores e três prefeitos.

Os militares israelenses alegaram que as detenções foram feitas devido ao disparo de foguetes contra Israel, que tiveram o apoio dos detidos.

Operações israelenses, com detenções de membros do Hamas, provocaram uma polêmica internacional.

Computador

A esposa do ministro da Educação palestino Nasser al-Shaer, Huda, informou que soldados israelenses bateram à porta da casa deles em Nablus e o levaram, apenas comunicando que estavam obedecendo a ordens.

Segundo Huda, o computador do ministro também foi levado.

Shaer serviu como primeiro-ministro em um gabinete de governo anterior. Ele já havia sido detido em uma operação israelense contra integrantes do Hamas em agosto de 2006 e libertado no mês seguinte.

Um ex-ministro de governo, Abdel Rahman Zeidan, dois legisladores e os prefeitos das cidades de Nablus, Qalqiliya e Beita também foram levados.

Ataques aéreos

As detenções ocorreram em meio a novos ataques aéreos israelenses na Faixa de Gaza. Mais cedo, militantes palestinos intensificaram os ataques com foguetes contra Israel.

Autoridades israelenses repetiram as ameaças de aumentar a lista de alvos de ataques, incluindo líderes políticos do Hamas.

“Israel deixou bem claro que está determinado a parar o terrorismo do Hamas, dirigido contra nós e atuante na Faixa de Gaza, por meio dos contínuos ataques com foguetes Qassam – e na Cisjordânia, onde células terroristas continuam crescendo”, disse o porta-voz do governo israelense, David Baker.

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas nos últimos ataques israelenses na Faixa de Gaza, que tiveram como alvo lojas e centrais para transferência de dinheiro. Israel afirma que estas lojas são usadas por militantes para canalizar dinheiro vindo de outros países.

Os ataques israelenses na Faixa de Gaza já mataram mais de 30 palestinos na última semana, pelo menos 11 deles seriam civis.

No mesmo período, militantes palestinos dispararam mais de 120 foguetes contra Israel, matando um civil e ferindo pelo menos outros 16.