Israel mantém ocupação e recusa pedido norte-americano para deixar a Palestina

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de outubro de 2001 as 15:44, por: cdb

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, disse que as tropas vão permanecer nos territórios até que os palestinos entreguem a Israel os responsáveis pelo assassinato do ministro do Turismo israelense, Rehavam Zeevi, morto na semana passada.

Zalman Shoval, que é conselheiro de Sharon, disse que Israel não tem a intenção de deixar suas forças nas cidades da Cisjordânia por tempo indefinido.

Enviados internacionais se reúnem nesta terça-feira com representantes do governo de Israel, e eles devem voltar a pressionar pela retirada das tropas.

Escalada da violência

Segundo o Departamento de Estado americano, as ações de Israel contribuíram para uma significativa escalada da violência e da tensão na região. Esta foi descrita como a declaração mais forte já feita pelo governo americano sobre as incursões israelenses.

O porta-voz do Departamento de Estado, Philip Reecker, disse que as forças israelenses deveriam se retirar das cidades ocupadas imediatamente, e que o exército de Israel não deveria mais fazer incursões nessas áreas.

Também na segunda-feira, um integrante do Hamas morreu em uma explosão que teria sido provocada pelo exército de Israel, segundo autoridades do grupo islâmico.

Ayman Halaweh, de 26 anos, teria morrido na explosão. Oficiais israelenses não comentaram o incidente.

Arafat

O porta-voz do departamento de Estado declarou também que o governo americano quer que o líder palestino Yasser Arafat prenda os responsáveis pelo assassinato do ministro do Turismo de Israel, Rehavam Zeevi.

Ele disse que Arafat deve combater com mais vigor grupos que estejam planejando novos atentados.

O correspondente da BBC no departamento de Estado americano disse que as declarações do porta-voz não endossam o pedido feito pelos israelenses de que os suspeitos pelo assassinato sejam entregues a Israel.

Durante um encontro em Gaza com representantes dos Estados Unidos, da Rússia, da União Européia e da ONU, Arafat havia feito um apelo para que os americanos pressionassem Israel a retirar seus tanques dos territórios palestinos.

Por sua vez, representantes de diversos países pediram que o líder palestino se esforçasse mais pelo cumprimento do cessar-fogo com Israel.

O ministro do Exterior israelense, Shimon Peres, tem um encontro marcado nesta terça-feira com o secretário de Estado americano, Colin Powell.