Israel exige que Arafat se renda

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 22 de setembro de 2002 as 00:53, por: cdb

Tropas israelenses estão exigindo que o quartel-general de Yasser Arafat, o presidente da Autoridade Palestina, seja evacuado e que o líder palestino e as demais pessoas no prédio se rendam.

Segundo relatos vindos da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, os soldados estão fazendo anúncios por meio de alto-falantes exigindo que as pessoas que moram nas imediações abandonem a área imediatamente.

Algumas das pessoas que vivem próximo à área do QG de Arafat contam que militares pediram que eles apaguem as luzes de seus cômodos, abram as janelas e aguardem “uma grande explosão”.

O Ministro da Defesa de Israel não confirmou nem negou que uma explosão tenha sido anunciada por alto-falantes.

Ocupação militar

O QG de Arafat está sob ocupação militar de Israel desde a quinta-feira passada. Todos os prédios do local foram destruídos, exceto o que abriga o escritório do líder palestino.

O cerco ao QG de Arafat é uma retaliação aos atentados suicidas em Um al-Fahm, no início da semana, e em Tel Aviv, na quinta-feira. Segundo o governo de Israel, dentro do QG há pessoas envolvidas em atentados contra civis israelenses.

Arafat vem se recusando a abandonar o local e tem dito que se for preciso morrerá como um mártir de seu povo.

Saeb Erekat, o principal negociador da Autoridade Palestina, disse à BBC que a vida daqueles que estão no QG enfrenta “sério perigo”.

“O primeiro ministro israelense, Ariel Sharon, levará a situação para um ponto sem volta – talvez isso aconteça hoje à noite mesmo”, disse.

O porta-voz do governo de Israel, Dore Gold, negou especulações de que uma grande explosão está sendo planejada.

“Israel não tem interesse em causar qualquer mal a Arafat”, afirmou em entrevista à BBC.

O QG de Arafat é conhecido como Mukata. Foi construído pelos britânicos na década de 20, e os palestinos assumiram o controle do local em 1994, após os acordos de paz de Oslo.