Israel compra bombas anti-bunker de olho no Irã

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 21 de setembro de 2004 as 09:41, por: cdb

Os Estados Unidos planejam vender para Israel 319 milhões de dólares em bombas lançadas do ar, entre as quais 500 “destruidoras de bunkers” capazes de penetrar nas instalações nucleares e subterrâneas do Irã, disseram integrantes das forças de segurança israelenses na terça-feira.

O Pentágono (sede das Forças Armadas norte-americanas) afirmou em junho que considerava a venda para Israel de 500 bombas tipo BLU-109 como parte de um pacote destinado a “contribuir significativamente com os interesses estratégicos e táticos dos EUA”.

A embaixada norte-americana no território israelense não quis se manifestar sobre o caso. O Ministério de Defesa do Estado judaico também se negou a fazer comentários. Mas fontes das forças de segurança de Israel confirmaram que a venda aconteceria e uma delas disse à Reuters:

– Esse não é um tipo de material necessário para enfrentar os palestinos. As destruidoras de bunkers poderiam servir para enfrentar o Irã ou talvez a Síria – enfatizaram.

O jornal Haaretz afirmou que a venda não deve se completar até depois das eleições presidenciais dos EUA, em novembro. No começo deste mês, o Haaretz disse que Israel tentava obter as bombas “destruidoras de bunkers” para um eventual ataque contra o programa nuclear do Irã. Esse programa seria, na opinião do Estado judaico, uma ameaça estratégica.

O governo iraniano nega que pretenda usar seu programa nuclear para fabricar bombas. Os fins dele seriam apenas pacíficos, diz. Nesta semana, o país rejeitou os apelos internacionais para implementar uma resolução da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e suspender as atividades relacionadas com o enriquecimento de urânio.

As bombas “destruidoras de bunkers” são guiadas por laser ou por satélites e podem penetrar em até 10 metros de terra e concreto. Israel já pode ter algumas bombas desse tipo para equipar seus aviões F-15, vindos também dos EUA.