Israel aprova libertação de presos palestinos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 6 de julho de 2003 as 08:59, por: cdb

De acordo com a rádio militar israelense, o governo aprovou, neste domingo, a libertação de centenas de presos palestinos. A ação é um dos pontos determinados pelo plano de paz do Quarteto de Madri, o chamado “Mapa de Rota”.

De acordo com fontes oficiais, não serão beneficiados os julgados e presos por ataques sangrentos nos quais tenham morrido israelenses, nem os militantes de três facções da resistência palestina, o Hamas, a Jihad islâmica e a Frente Popular para a Libertação da Palestina.

A decisão pode anular a trégua proclamada por estas organizações islâmicas unilateralmente há uma semana na cidade de Gaza.

Uma das condições para o cessar-fogo com o governo de Sharon, que não se sente obrigado por essa decisão unilateral, é exatamente a libertação de todos os prisioneiros, calculados entre 6 mil e 6,5 mil, se forem levados em conta os cidadãos árabes de Israel presos por “delitos contra a segurança” em cumplicidade com militantes da resistência palestina durante a atual Intifada de Al Aqsa.

Há cerca de 3,5 mil presos que devem ser soltos, entre eles, mais de 900 “administrativos”, retidos sem julgamento prévio por, conforme Israel, serem “perigosos para a segurança pública”, e outros 2,5 mil julgados por ataques sem vítimas fatais.