Israel amplia ação na Faixa de Gaza e mata quatro palestinos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 4 de outubro de 2004 as 08:59, por: cdb

Um ataque aéreo israelense contra um campo de refugiados no norte de Gaza matou ao menos quatro militantes palestinos nesta segunda-feira, no quinto dia de uma das mais sangrentas ofensivas de Israel em Gaza em quatro anos de conflito.

Testemunhas e médicos disseram que entre os mortos está um comandante sênior do Hamas.
O ataque no início da manhã foi lançado pouco depois que o comandante do Exército de Israel anunciou que a incursão em Gaza iria durar “o quanto for necessário” para acabar com o lançamento de foguetes contra Israel.

Cinquenta e nove palestinos, entre eles pelo menos 38 militantes, foram mortos desde que Israel iniciou esta operação, seguindo-se à morte de duas crianças em um ataque de foguete na cidade de Sderot, perto da fronteira com Gaza.

– Nossa missão é remover Sderot do alcance dos foguetes – disse o coronel Eyal Izenburg à Rádio Israel.

Na Organização das Nações Unidas (ONU), o secretário-geral Kofi Annan exortou Israel a suspender os ataques em Gaza, “que levaram à morte de muitos palestinos, entre eles muitos civis”.

Ele também pediu para líderes palestinos ajudarem a acabar com o disparo dos foguetes.
O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, afirmou que o Exército vai ampliar a “zona de segurança” no norte de Gaza para impedir que os foguetes cheguem a cidades israelenses. Ele busca também garantir que os grupos militantes sejam eliminados antes da retirada do país de Gaza, no próximo ano.

Cerca de 200 tanques e veículos blindados tomaram uma área de nove quilômetros quadrados no norte da Faixa de Gaza e realizaram incursões dentro do campo de refugiados de Jabalya, um reduto de militantes. Outros blindados cercaram a cidade de Beit Hanoun.

Ismail Haniyeh, um dos líderes do Hamas, sugeriu que os militantes podem considerar acabar com os disparos contra Israel. Ele disse a repórteres que o grupo “estudará seriamente seus métodos” se Israel colocar um fim na ação militar em Gaza.

Mas outros militantes estão determinados a dar a impressão de que estão expulsando Israel de Gaza.

– Os foguetes Qassam não vão parar enquanto a ocupação existir – declarou Mushir al-Masri, porta-voz do Hamas, em comício para 4.000 pessoas na Cidade de Gaza no final deste domingo.