Irregularidades na Secretaria da Fazenda do Rio serão apuradas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de fevereiro de 2003 as 15:36, por: cdb

Os deputados Paulo Melo, Paulo Ramos, Graça Matos, Luiz Paulo, Edmilson Valentim e Carlos Minc, integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga denúncias de corrupção na Secretaria de Fazenda do Rio, acompanhados por auditores do Tribunal de Contas do estado, estiveram na manhã desta quarta-feira na Junta de Revisão Fiscal, órgão da Secretaria Estadual de Fazenda, para abrir um procedimento técnico de auditoria.

A auditoria será realizada por técnicos do Tribunal de Contas do Estado. “Os técnicos irão trabalhar para levantar indícios de irregularidades que a CPI já constatou ao analisar documentos enviados pela Secretaria de Fazenda, onde constam todos os autos da Inspetoria de Grande Porte e com todas as empresas fiscalizadas”, explicou o presidente da CPI, deputado Paulo Melo.

Segundo ele, os documentos entregues pela secretaria revelam que os autos de infração com os maiores valores, na maioria das vezes, eram considerados improcedentes. A CPI quer saber qual o motivo de tantos autos de infração com valores altos terem sido considerados improcedentes.

Para o deputado Carlos Minc, “é inadmissível que um auto de infração de seis, quatro, cinco ou três milhões seja cancelado por improcedência na ação fiscal. Os fiscais estudam e treinam para isso”. De acordo com Paulo Melo, eles também querem saber qual era a prática da Junta no cancelamento de autos. “Os técnicos irão analisar o material encontrado na auditoria e farão um relatório para nós”, finalizou o deputado.