Iraque teria oferecido contratos a Alemanha em troca de apoio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 20 de abril de 2003 as 09:53, por: cdb

Os serviços secretos alemães fizeram uma aproximação no início de 2002 ao regime de Saddam Hussein, que ofereceu contratos a empresas do país europeu se Berlim evitasse a guerra. A informação é do jornal britânico The Sunday Telegraph.

Segundo documentos aos quais o periódico teria tido acesso, um agente alemão, Johannes William Hoffner, se reuniu em janeiro do ano passado com o responsável pelos serviços secretos iraquianos, o general Taher Jalil Haboosh. O jornal disse que, no encontro, o general iraquiano assegurou que queria manter uma relação com os serviços secretos da Alemanha “sob cobertura diplomática” e por meio de Hoffner.

Hoffner seria “o novo representante alemão no Iraque”, e havia entrado ao país com cobertura diplomática. Conforme os documentos aos quais o jornal teria tido acesso, o representante alemão respondeu: “minha organização quer desenvolver uma relação com a sua”.

No encontro, o general confessou que seu país tinha “grandes problemas” com os Estados Unidos e o Reino Unido, e sugeriu que a Alemanha poderia ser recompensada com lucrativos contratos se oferecesse apoio internacional ao regime de Bagdá. “Quando a conspiração norte-americana acabar, calcularemos o que cada país que ajudou o Iraque nesta crise fez”, teria dito Haboosh.

O The Sunday Telegraph afirma que encontrou estes documentos entre os escombros do quartel-general dos serviços de inteligência iraquianos em Bagdá, bombardeado durante a guerra. Na semana passada, a mesma publicação disse que a Rússia passou informação secreta ao regime de Saddam Hussein sobre conversas do primeiro-ministro britânico, Tony Blair, com outros líderes ocidentais.

De acordo com outros documentos “altamente secretos” obtidos em Bagdá pelo jornal, Rússia e Iraque assinaram acordos para compartilhar informação de inteligência e se ajudar mutuamente a fim de “obter” vistos para o deslocamento de agentes a outros países.