Iraque: Manifestações globais sinalizam “derrota e isolamento dos EUA”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 16 de fevereiro de 2003 as 15:53, por: cdb

A imprensa do Iraque, que é controlada pelo governo, deu neste domingo grande cobertura às manifestações pela paz ocorridas em cerca de 600 cidades pelo mundo, na véspera, afirmando que os protestos sinalizavam uma vitória iraquiana e “a derrota e o isolamento dos Estados Unidos”.

A televisão mostrou imagens de multidões nas ruas de vários países com uma legenda na tela dizendo “Dia Internacional de Confronto à Agressão”.

“O mundo falou com uma única voz: ‘Não à agressão ao Iraque'”, afirmou o jornal Al-Jumhuriya, em sua manchete. “O mundo levanta-se contra a agressão norte-americana e a arrogância da força nua”, dizia a manchete do diário do Exército Al-Qadissiya.

“Esses protestos expressaram no seu espírito, significado e lemas a vitória decisiva do Iraque e a derrota e o isolamento da América”, observa Al-Jumhuriya, em um editorial.

Manifestação em Bagdad

Os iraquianos também realizaram suas próprias manifestações no sábado, quando dezenas de milhares saíram às ruas de várias cidades do país carregando fuzis e retratos do presidente Saddam Hussein e jurando lealdade ao líder iraquiano em face das ameaças de ataque dos Estados Unidos.

“Os Estados Unidos deveriam ouvir a voz da opinião pública internacional”, disse em Roma, neste domingo, o vice-primeiro-ministro iraquiano, Tariq Aziz, antes de embarcar em um vôo de volta para Bagdad.

Reagindo aos protestos, Jeanie Mamo, uma porta-voz da Casa Branca, declarou: “Um dos valores democráticos pelo qual temos muito apreço é o direito de as pessoas se reunirem pacificamente e expressarem suas opiniões”.

“O presidente (dos Estados Unidos George W.) Bush vê a força como o último recurso. Ele ainda tem esperanças em uma resolução pacífica, e isso cabe a Saddam Hussein”, completou.