Iraque entrega mais documentos aos chefes dos inspetores da ONU

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 9 de fevereiro de 2003 as 14:53, por: cdb

Com o crescimento da ameaça de um ataque militar, autoridades do Iraque forneceram neste domingo mais documentos ao diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea), Mohamed ElBaradei, e ao chefe dos inspetores de armas das Nações Unidas, Hans Blix, que estão no segundo dia de conversações no país.

Os inspetores estão estudando os documentos para verificar se contêm novas informações sobre os supostos programas de armas de destruição em massa de Bagdad.

As reuniões na capital iraquiana acontecem em meio às tentativas dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha de reunir apoio suficiente para uma guerra, com o presidente norte-americano George W. Bush advertindo que Bagdad tem “semanas, e não meses” para aquiescer à resolução 1.441 do Conselho de Segurança da ONU, que concedeu um novo mandato para as vistorias dos inspetores no Iraque.

Mas os países que se opõem ao conflito também estão analisando formas de como proceder. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, se encontrará com o presidente da França, Jacques Chirac, na segunda-feira.

Alemanha e França estariam trabalhando em um plano para evitar uma guerra pelo aumento do número de inspetores no Iraque e o envio ao país de tropas de manutenção da paz da ONU.

Como membros permanentes do Conselho de Segurança, França e Rússia têm poderes para vetar uma segunda resolução que autorize uma ação militar. A Alemanha ocupa atualmente a presidência rotativa daquele órgão, do qual é membro não-permanente.

ElBaradei e Blix apresentarão novos relatórios sobre o andamento dos trabalhos dos inspetores no Iraque ao Conselho de Segurança na próxima sexta-feira. Os dois se reuniram neste domingo com uma equipe liderada pelo general Amir al-Saadi, assessor científico da Presidência iraquiana.

Após a primeira rodada de conversações do sábado, quando autoridades iraquianas entregaram novos documentos, ElBaradei declarou que o Iraque estava fornecendo explicações para algumas “importantes questões de desarmamento” que colocaram o país à beira de uma guerra com os Estados Unidos.

Blix e ElBaradei têm exortado o Iraque a demonstrar maior cooperação com o regime de inspeções. Autoridades iraquianas afirmam que estão cooperando.

No sábado, um porta-voz da Casa Branca declarou: “Saddam Hussein concordou em se desarmar 12 anos atrás. A resolução 1.441 exige dele uma declaração completa de seus programas de armas, o que ele não fez. Exige que coopere plenamente com o desarmamento de seu regime, o que ele não fez. Nos deixamos claro que Saddam Hussein tem que se desarmar totalmente – não simplesmente falar, mas demonstrar resultados”.

O Iraque insiste, por sua vez, que não possui armas de destruição em massa e que Bush está determinado a declarar guerra ao país independentemente do resultado das inspeções.