Irã: EUA não mandarão na agência nuclear

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 2 de setembro de 2003 as 15:16, por: cdb

O embaixador do Irã na Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) disse que os Estados Unidos não conseguiriam pressionar a direção do órgão a fim de que ela denuncie o país ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) neste mês. Ali Akbar Salehi também admitiu publicamente pela primeira vez que o Irã havia comprado peças para seu programa de enriquecimento centrífugo de urânio no mercado negro.

No dia 8 de setembro, a direção da AIEA, uma agência da ONU, reúne-se para discutir o resultado das inspeções realizadas em instalações iranianas. Os Estados Unidos dizem que, segundo os relatórios, o Irã violou um acordo no qual se comprometeu a manter a ONU informada a respeito de suas atividades e instalações nucleares.

Se a direção da agência decidir que o país islâmico não está obedecendo ao Tratado de Garantias da AIEA, ela pode notificar o Conselho de Segurança do fato. O conselho, por sua vez, poderia impor sanções econômicas contra o Irã.

– Não acho que isso irá acontecer – afirmou Salehi, embaixador iraniano junto à IAEA. – Acho que os EUA deveriam ser mais inteligentes a fim de evitarem se ver em uma situação constrangedora.


Em junho, os norte-americanos não conseguiram convencer a direção da agência a declarar que o Irã havia violado o tratado, apesar de o órgão ter criticado o país islâmico. Segundo diplomatas, os EUA estão isolados dentro da IAEA e maior parte dos integrantes da agência não concorda com a opção de denunciar o Irã ao Conselho de Segurança neste momento.

Os norte-americanos acusam o país islâmico de desenvolver armas nucleares, o que o governo iraniano nega veementemente.