Investimentos de R$ 40 mi levantam site para construção civil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 22 de agosto de 2001 as 10:13, por: cdb

A Promon Tecnologia e a construtora Camargo Corrêa investiram R$ 20 milhões para a criação do Neogera, portal destinado à construção civil e arquitetura que entrará em funcionamento a partir do dia 28 deste mês.

A estratégia da nova empresa foi divulgada hoje (21/08). A expectativa é de faturar R$ 4 milhões até 2002 e chegar a R$ 40 milhões em 2005.

“Avaliamos muito bem o mercado e, passado a euforia da Internet, acreditamos que haveria espaço para o nosso portal agora”, afirma o diretor financeiro da Neogera, Edy Luiz Kogut.

Kogut explica que não é porque a Camargo Corrêa é uma das acionistas que o portal vai deixar de atender a outras construtoras.

O portal vai cobrar uma taxa fixa mensal de fornecedores que conseguirem vender seus produtos para as construtoras através de transações B2B (business-to-business).

Sem contar a atuação no setor B2B da construção civil, o site vai também oferecer serviços para agregar valor ao produto.

Entre os serviços, haverá uma sala de projetos virtuais, onde poderão ser realizadas alterações nas plantas que estão sendo implementada e, ao mesmo tempo, informar tanto os responsáveis técnicos quanto os ligados à execução e compra de materiais.

“Numa obra de R$ 40 milhões, por exemplo, são produzidos 15 mil documentos que devem ser assinados por vários integrantes do projeto. Com o site, essa burocracia deve acabar. Todos são avisados das alterações”, conta o executivo.

Eduardo Müller Monteiro, diretor-presidente da Neogera, ressalta que o site dará mais transparência ao setor da construção civil e não esconde a intenção de oferecer esse produto também ao setor público.

“Isso leva a sociedade a acompanhar a forma como o dinheiro público é investido, dando mais transparência ao processo”, afirma.

O executivo prefere não divulgar possíveis parcerias já realizadas para colocar o site em funcionamento, e espera que a própria Camargo Correâ comece a usar o sistema.

“Tanto a Camargo Corrêa, como a Promon podem ser nossos clientes, mas serão tratados da mesma forma que todos os outros”, promete.

Além da sala de projetos, a qual os envolvidos na construção poderão ter acesso de qualquer parte do mundo, o site também poderá instalar câmeras de vídeo na obra, consultar normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), notícias de mercado e previsão do tempo.

“Esses serviços vão agregar muito valor ao site. Imagine que os participantes da sala de projetos virtuais poderão monitorar por câmera o que acontece na obra”, diz Milton Antelo, diretor de tecnologia da Neogera.