Investigador é assassinado a tiros em Campinas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 26 de abril de 2003 as 14:41, por: cdb

O investigador de polícia Tennesse Willians Marcondes, de 37 anos, foi assassinado com cinco tiros disparados à queima roupa, na madrugada de sábado, na Vila Castelo Branco, em Campinas. A autoria do crime era desconhecida até às 11h de sábado. O caso foi registrado como homicídio simples, no plantão do 9º Distrito Policial, no Jardim Aeroporto. Marcondes será enterrado às 16h30 deste sábado, no Cemitério Parque Flamboyant, em Campinas.

De acordo com dados registrados no Boletim de Ocorrência (BO), a vítima foi assassinada na Rua Fornovo, em frente à praça da Vila Castelo Branco. Era pouco antes das 4h da manhã, quando o policial estacionou seu veículo, o modelo não foi divulgado, e desceu para conversar com outras pessoas. Em seguida, vizinhos ouviram vários tiros e acionaram o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), que encaminhou uma viatura para o bairro. No local foi constatado que Marcondes foi alvejado com cinco tiros.

O investigador chegou a ser socorrido e levado para o hospital Celso Pierro da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Campinas), onde não resistiu aos ferimentos e morreu. O Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) foi acionado para comparecer no local do crime e instaurou inquérito para apurar as circunstâncias em que o crime aconteceu e quem são os autores do assassinato.

Filho do delegado aposentado Ravengar Pereira Marcondes, o policial já trabalhou nas especializadas Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise). De acordo com apuração da Agência Anhangüera de Notícias (AAN), Marcondes estava lotado na delegacia do Aeroporto Internacional de Viracopos.