Interpol condena ação na Rússia e oferece ajuda na investigação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 4 de setembro de 2004 as 12:31, por: cdb

O secretário-geral da Interpol, Ronald K. Noble, condenou neste sábado os responsáveis da tomada de reféns em uma escola da Ossétia do Norte, que deixou centenas de mortos, e ofereceu sua ajuda às autoridades russas na investigação.

– O centro de comando e coordenação de Lyon (sudeste da França) acolherá com a maior rapidez todos os pedidos de informação e assistência para a investigação”, afirmou Noble em comunicado. 

– A rede global de comunicações da Interpol, com acesso instantâneo a bancos de dados e arquivos de impressões digitais e de DNA, assim como de documentos de viagens roubados e outros dados, além da secretaria geral estão a serviço das autoridades russas”, acrescentou o secretário-geral.

A organização, que reúne policiais de 170 países, também se ofereceu ao governo russo para emitir ordens internacional de busca e captura dos suspeitos identificados e para ajudar a estabelecer a conexão entre os seqüestradores de Beslan e os grupos extremistas e terroristas internacionais.

Além disso, “a Interpol pode ajudar com seus especialistas na identificação de vítimas de um desastre, se assim for solicitado” por Moscou, acrescentou Nobre.

O principal responsável da organização afirma que “a ação dos seqüestradores não pode ser justificada por causa alguma” antes de enviar em seu nome e no da Interpol suas condolências às famílias e amigos das vítimas e feridos de Beslan.

Segundo os últimos dados oficiais, o trágico desfecho do seqüestro causou pelo menos 322 mortos, 155 deles crianças, embora esses números poderiam aumentar nas próximas horas, quando terminem os trabalhos nos escombros.