Internet, que não é barata, pode ficar mais cara

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de setembro de 2011 as 14:12, por: cdb

(1’17” / 303 Kb) – Pessoas com alto consumo de downloads e de transferência de dados da internet, os chamados “heavy users”, podem pagar a mais pelo “uso pesado” da rede. As operadoras desses serviços querem que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) permita a taxação dos usuários e, também, das empresas recordistas de tráfego na internet, como Google e Facebook.

As empresas de telecomunicações alegam que a cobrança é necessária para “compartilhar” os investimentos em infraestrutura na área. Segundo reportagem da Folha, as teles consideram injusto que as companhias que se sustentam pelos acessos em suas redes lucrem às suas custas. A “gestão do tráfego” da internet é outro ponto que se pretende dividir entre essas empresas, para evitar a saturação das redes.

A companhia Google declarou que os provedores de plataformas já pagam valores expressivos pelo uso das redes. A cobrança a mais também não se justificaria, pois outros produtos e serviços, como o YouTube, também ajudam a aumentar o número de consumidores das teles.

Esse tipo de taxação de acordo com o uso da internet é proibido pela Anatel. As teles declararam que sem flexibilização, os preços para o consumidor serão reajustados.

De São Paulo, da Radioagência NP, Vivian Fernandes.

01/09/11