Internet promove reforma agrária em jogo que conquista os brasileiros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 19 de outubro de 2009 as 19:00, por: cdb

A loucura por um pedaço de terra nesse país é tanta que uma rede social dessas aí na internet montou, e hoje vende, um jogo que vem atraindo a curiosidade e o fascínio de milhares de brasileiros. Antes disponível apenas em inglês, agora um sítio, uma fazendinha, uma boa propriedade rural, com uns dois alqueires mineiros bem medidos, já é chega ao público em português. A tradução é incipiente, mas facilita e democratiza o acesso aos campos virtuais onde de um tudo se planta e a colheita é garantida, apenas horas ou dias depois. E o melhor: Sem tempo ruim, tempestades, granizo, ventos cortantes ou invernos rigorosos.

O empreendimento, para quem olha por esse ângulo, rende bons vizinhos, gente simples e boa, sempre disposta a espantar corvos ou outras pragas quaisquer que ameaçam a plantação de morangos e berinjelas, para os iniciantes. Chega ao requinte das pimentas, alcachofras e aspargos para os fazendeiros experientes que, com afinco e dedicação ao mouse e à distração mental, lavram a terra, plantam pés de lima, de laranja, figo ou abacate, e controem casas, silos, galpões de ferramentas e mesas de churrasco na posse eletrônica distribuída por um governo imaginário, mas justo, que concede a terra para quem, de verdade, quer construir ali um sonho.

A idéia começa com a possibilidade de ter um canto perto da natureza, de deixar a cidade grande e lançar mãos à terra, dela extrair o pão nosso de cada dia e viver em harmonia com Gaia. Com a ajuda de amigos, todos integrantes da tal rede social, no entanto, o campo plano e verdinho vai ganhando contornos de uma daquelas fazendinhas que vemos nos canais enlatados que chegam da América do Norte ou na programação da TV aberta brasileira, em produções equivalentes. A cerca é branca, os cavalos, baios, as ovelhas peludas, cabras engraçadas, patos e galinhas, todos arrumados e prontos para render um bom dinheiro. Nesse planeta, livre da usura e da cobiça, o internauta ergue o seu lugar no mundo, onde criar os filhos com saúde, escola e alimentação de boa qualidade.

Do jeito que montaram a coisa, em breve o que é um simples joguinho tende a se transformar em mais um daqueles milagres que só a internet sabe produzir. Do nada, literalmente, em pleno espaço virtual, um negócio que parece inocente e pleno de ingredientes lúdicos assume contornos de empreendimento, com mercado específico e rentável. Claro, com o cartão de crédito preparado para a aventura.