Inter vence o Goiás por 2 a 1

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 4 de maio de 2003 as 19:26, por: cdb

O Internacional manteve a liderança do Campeonato Brasileiro, na tarde desse domingo, ao vencer o Goiás por 2 x 1, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. Com o resultado, o clube gaúcho chega aos 18 pontos, um a mais que o Cruzeiro. Já o Goiás se mantém com apenas cinco pontos, habitando a perigosa zona de rebaixamento.

O começo do Colorado foi arrasador. Num único lance, aos 2min, foram três chutes consecutivos contra a meta goiana, através de Diego, Flávio e, finalmente Jéfferson Feijão. A torcida, que já estava animada antes de começar o encontro, enlouquecia nas arquibancadas com aquela iniciativa do time.

A pressão continuou enorme até os 20min de jogo, instante do jogo em que o volante Geninho, aproveitando rebote do goleiro Harley, bateu de dentro da grande área e a bola passou raspando o poste esquerdo. Só o que faltava aos jogadores do time gaúcho era mesmo a pontaria, pois mantinham os adversários acuados, não dando chances para que sequer arriscassem contra-ataques.

O gol era mesmo uma questão de tempo e ele saiu aos 27min, após pênalti sofrido pelo jovem craque Diego, que entrou a dribles na grande área e foi derrubado pelo zagueiro Fabão. O paraguaio Gavilán cobrou com força e fez o 1 x 0.

Só então o Goiás começou a atuar ofensivamente, e numa cobrança de falta feita por Caíco, aos 32, Clemer foi obrigado a fazer sua primeira defesa na partida. Mas um minuto depois, como que a deixar claro que quem mandava na tarde do Beira-Rio era o Inter, surgiu o contra-ataque no qual Jefférson Feijão chegou a driblar Halrley, mas ao tentar acertar as redes o chute passou frente à risca da meta e saiu à esquerda.

O jogo se tornava aberto, veloz, com chances se alternando em ambas as áreas, entusiasmando o ótimo público presente ao Beira-Rio.

Mas até o final daquele primeiro tempo o placar não se alteraria e os jogadores do Inter desceriam para o vestiário sob uma gritaria feliz do povo vermelho.

O lateral-direito Gavilán, autor da vantagem da equipe, agradeceu aos torcedores que gritavam seu nome e emocionado disse: “Estou feliz. Foi um lindo gol”. Já o atacante Dimba, do Goiás, sentindo que a situação estava ruim, comentou: “Realmente estamos com dificuldades, mas ainda vamos tentar reverter”.

O instantes iniciais do segundo tempo mostraram que o jogo continuaria em ritmo alucinante. Nos dois primeiros minutos, o Colorado perdeu duas chances. No terceiro, o Goiás só não marcou porque, com o goleiro Clemer já batido, o volante Flávio conseguiu, com a cabeça, aliviar para escanteio.

A vantagem era do Inter, mas o time goiano mostrava que estava vivo no jogo e continuaria brigando pela igualdade. A velocidade era a grande arma do alviverde, o que ficou bem evidente numa jogada do ágil Araújo, aos 12min: ele driblou três jogadores da equipe gaúcha, desviou o chute de Clemer, mas Fernando Cardozo conseguiu salvar sobre a risca.

Aos 21min, uma falha indesculpável do goleiro Clemer proporcionou o empate do Goiás. Ele foi dar o chutão para a frente, acertou as costas do companheiro Gavilán e a bola retornou para sua pequena área, sendo aproveitada por Dimba, que empurrou para o fundo das redes. Um banho de água fria sobre a torcida colorada.

O técnico Muricy Ramalho tentou reanimar o time e os torcedores, colocando imediatamente em campo o jovem Nilmar, no lugar de Jéfferson Feijão. Como a reação não foi imediata, outra troca: o centroavante Cidmar em substituição ao meia Cleiton Xavier.

Apesar das tentativas o time não conseguia retomar aquela produtividade do primeiro tempo, enquanto o Goiás se mantinha perigoso nos contra-ataques, especialmente pela criatividade do meia Caíco.

Aos 30mim Nilmar voltou a agitar as arquibancadas, numa boa jogada pela direita, embora o cruzamento tenha sido mal aproveitado por Daniel Carvalho, que cabeceou por cima da meta.

Faltando 10min para o final, o lateral-esquerdo do Inter, Edu Silva, impediu uma investida perigosa do Goiás, com o braço, e foi expulso. O