Institutos elevam previsão para colheira da safra de 2008

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de dezembro de 2007 as 11:41, por: cdb

A produção total de cereais, leguminosas e oleaginosas prevista para a safra de 2008 deverá atingir 137,3 milhões de toneladas – resultado 3,1% maior que a obtida este ano e que deverá fechar em 133,2 milhões de toneladas.  O resultado é 0,1% menor do que a estimativa de outubro, mas chega a ser 13,8% superior à safra de 2006, quando foram produzidas 117 milhões de toneladas.

Os dados fazem parte do levantamento da produção, divulgado nesta segunda-feira, em conjunto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio, e a Companhia Nacional de Alimentos (Conab), em Brasília. Este é o primeiro levantamento divulgado depois de um convênio firmado entre os dois órgãos para unificar os levantamentos.

As projeções para a safra 2008 foram feitas a partir do segundo prognóstico das áreas plantadas ou a plantar, bem como da produção nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste do país e nos estados de Rondônia, Maranhão, Piauí e Bahia. O prognóstico representa, segundo o IBGE, 85,6% da produção nacional prevista, enquanto as projeções realizadas respondem por 14,4% do valor total. O prognóstico da safra 2008 mostra, ainda, crescimento de 2,9% na área a ser colhida

A segunda avaliação da área a ser colhida em 2008, considerados os 11 produtos investigados, é de 46,9 milhões de hectares, 2,9% superior à área colhida em 2007 (45,5 milhões de hectares). Em termos absolutos, esse crescimento totaliza cerca de 1,3 milhão de hectares. Dentre os 11 produtos analisados, seis apresentaram variação positiva em relação à área colhida em 2007: algodão herbáceo em caroço (3,8%), amendoim em casca 1ª safra (2,4%), arroz em casca (2,0%), cana-de-açúcar (8,3%), milho em grão 1ª safra (4,4%) e soja em grão (1,5%).

Apresentam variação positiva as seguintes culturas: algodão herbáceo em caroço (6,5%), amendoim em casca primeira safra (3,3%), arroz em casca (7,9%), cana-de-açúcar (9,3%), milho em grão primeira safra (5,5%) e soja em grão (2,0%). Com variação negativa, batata-inglesa primeira safra (7,2%), feijão em grão primeira safra (0,6%), fumo em folha (2,4%) e mandioca (0,5%).