Indústria recua 0,6% em novembro com produção brasileira menor de automóveis

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 as 10:25, por: cdb
A produção industrial brasileira caiu 0,6 por cento em novembro frente a outubro, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
A produção industrial brasileira caiu 0,6 por cento em novembro frente a outubro, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

A produção industrial brasileira recuou 0,6 %  em novembro frente a outubro, pressionada pela desaceleração na fabricação de automóveis e da indústria extrativa, colocando assim em dúvida a expectativa de uma recuperação no setor no final do ano passado.

De acordo com os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, o recuo apresentado em novembro anula assim a alta de 0,1 %  vista em outubro ante setembro, em dado revisado após ter sido divulgado anteriormente um avanço de 0,9 %.

Por outro lado, o resultado foi melhor do que a expectativa de economistas. A mediana das previsões de 14 analistas ouvidos pela Reuters indicava que a produção industrial teria recuado 0,9 %  em novembro ante outubro. As estimativas variaram de queda de 0,3 % a 1,2 %.

Na comparação com novembro de 2011, a produção caiu 1 %, nesse caso pior do que a previsão de recuo de 0,8 %. Em outubro a produção havia interrompido uma sequência de 13 meses de taxas negativas nesse tipo de comparação ao avançar 2,5 %, em dado também revisado após ter sido divulgado anteriormente avanço de 2,3 %.

Segundo o IBGE, em novembro 16 das 27 atividades pesquisadas apresentaram queda sobre o mês anterior, com destaque para o recuo de 6,7 % em indústrias extrativas e de 2,8 %  no setor de veículos automotores.

Com isso essas atividades eliminaram parte do crescimento registrado em outubro, de 8,2 %  e 3,2 %, respectivamente. Segundo a Anfavea, associação que representa as montadoras do país, o setor deve encerrar em queda 2012, o primeiro recuo anual desde 2002.

Na comparação com novembro de 2011, o setor de veículos automotores, com recuo de 7,5 %, foi o que exerceu a maior influência negativa para a queda de 1 % na produção industrial, pressionado pela queda na fabricação de aproximadamente 71 % dos produtos investigados, segundo o IBGE.

Entretanto, outro dado sobre a indústria sugere que o setor industrial brasileiro estava se recuperando no final do ano, embora a um ritmo mais lento. Em dezembro, a pesquisa Índice de Gerentes de Compras do Markit, divulgado na quarta-feira, atingiu 51,1, ante 52,2 em novembro, indicando expansão pelo terceiro mês seguido.

A economia brasileira iniciou o quarto trimestre de 2012 acelerando o passo, com avanço de 0,36 % no Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) em outubro ante setembro. Mas esse resultado ainda não foi suficiente para sustentar as avaliações de que a recuperação era permanente.