Indústria de São Paulo teve o melhor ano da história em 2004

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 13 de janeiro de 2005 as 17:09, por: cdb

Se o ano tivesse terminado em novembro, a produção industrial de São Paulo, o maior parque fabril do Brasil, já teria registrado em 2004 o melhor resultado da história: 11,9% no acumulado desde janeiro. Em todas as outras comparações o saldo também foi positivo: 11,4% em 12 meses e 10 2% em relação a novembro de 2003. Os dados foram divulgados hoje (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que mostrou crescimento em todas as 14 regiões pesquisadas em novembro.

Em São Paulo, os fechamentos anuais mais elevados (janeiro a dezembro) foram de 10%, em 1986, e 8,7%, em 1994. Como falta apenas um mês para completar o resultado de 2004, o recorde histórico no Estado é praticamente certo. A indústria paulista responde por 40% da produção do País e vem apresentando crescimento há 13 meses consecutivos na comparação com igual mês do ano anterior.

O crescimento de 10,2% em novembro ante igual mês de 2003 também esteve bem acima da média do País (8,1%) no período. A expansão acumulada da produção no Estado de janeiro a novembro do ano passado também ficou bem acima da média nacional (8,3%).

André Macedo, economista da coordenação de indústria do IBGE, disse que a indústria paulista está sendo beneficiada pela melhoria das condições de crédito e dos investimentos, com elevação, sobretudo, da produção de bens duráveis e de bens de capital. Segundo ele, há reação também de segmentos mais voltados para o mercado interno e que dependem mais diretamente do desempenho do mercado de trabalho.

Macedo destacou, entretanto, que como a pesquisa industrial regional não apresenta dados comparativos a mês anterior, com ajuste sazonal, não é possível saber se, assim como ocorreu em nível nacional, a indústria paulista está apresentando acomodação ou desaceleração na margem. A pesquisa relativa ao desempenho total do Brasil, divulgada pelo IBGE nesta semana, mostrou redução de 0,4% na produção industrial em novembro ante outubro.

O crescimento em São Paulo em novembro na comparação com igual mês de 2003 refletiu o comportamento positivo de 15 dos 20 ramos pesquisados no Estado. Os que mais influenciaram o desempenho global foram material eletrônico e equipamentos de comunicações (57,9%), veículos automotores (21,3%) e máquinas e equipamentos (24,7%) impulsionados, principalmente, pelo aumento na produção de equipamentos de telefonia celular e telefones celulares, além de automóveis e peças para motores.

A produção acumulada no período janeiro-novembro cresceu impulsionada por 19 setores que aumentaram o nível de atividade. As principais pressões positivas no indicador acumulado foram dadas por veículos automotores (29,7%), máquinas e equipamentos (22,1%) e material eletrônico e equipamentos de comunicações (45 5%).

Regiões – A produção industrial voltou, em novembro, a crescer em todas as regiões e em todas as bases de comparação, pelo quarto mês consecutivo. Para o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) o resultado é “muito positivo” e mostra que “a expansão da indústria abrange o País como um todo e não somente áreas isoladas”. Na comparação com novembro de 2003, o destaque é o avanço registrado na Bahia (30,5%), impulsionado sobretudo pelo resultado positivo de refino de petróleo e produção de álcool.

No indicador acumulado para o período janeiro-novembro de 2004, a liderança do desempenho regional permaneceu com o Amazonas (12,9%), com destaque para a produção de televisores e de telefones celulares. Segundo Macedo, a região se beneficiou, ao longo de 2004, com o aumento das vendas de eletroeletrônicos impulsionadas pelas melhores condições de crédito.