Índice geral de preços-mercado registra alta de 0,41%

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 9 de janeiro de 2013 as 10:50, por: cdb
O IGP-M fechou dezembro com alta de 0,68%, encerrando 2012 com avanço acumulado de 7,82%
O IGP-M fechou dezembro com alta de 0,68%, encerrando 2012 com avanço acumulado de 7,82%

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) registrou alta de 0,41%  na primeira prévia de janeiro, ante elevação de 0,50% no mesmo período de dezembro, influenciado pela desaceleração dos preços tanto no atacado quanto no varejo, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta quarta-feira. O IGP-M fechou dezembro com alta de 0,68%, encerrando 2012 com avanço acumulado de 7,82%.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60%  do índice geral, teve alta de 0,46%  na primeira prévia de janeiro, ante avanço de 0,50%  em igual período de dezembro.

Os preços no atacado chegaram a mostrar deflação em 2012, mas voltaram a subir no final do ano. Na segunda-feira, o Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) acelerou para uma alta de 0,66%  em dezembro, encerrando 2012 com avanço acumulado de 8,10%.

Em relação à origem dos produtos, o resultado da primeira prévia de janeiro do IPA foi puxado pela desaceleração dos preços dos produtos agropecuários, com alta de 0,36%  ante 0,93%  anteriormente. Já os produtos industriais aceleraram para um avanço de 0,50%, ante 0,33 por cento na primeira prévia de dezembro.

Entre os estágios de produção, o índice de Matérias-Primas Brutas apresentou queda de 0,18%, contra alta de 0,79%  no mês anterior. Os itens que mais influenciaram foram milho em grão (4,97%  para 0,57%), soja em grão (-1,77% -2,89%) e bovinos (0,38% -1,76%). Já os preços dos Bens Finais avançaram 0,93%, ante 0,55%  anteriormente. Contribuiu para este movimento o subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de 2,53%  para 6,12%.

No segmento Bens Intermediários, houve aceleração para 0,58%,  ante 0,24%  em dezembro. A principal contribuição partiu do subgrupo materiais e componentes para a manufatura, que passou de 0,36%  para 0,89%.

Varejo

Já o Índice de Preços ao Consumidor, com peso de 30%  no índice geral, desacelerou a alta para 0,40%, contra 0,56%  visto anteriormente. O resultado foi puxado por Habitação, que avançou 0,07%  na primeira prévia de janeiro ante alta de 0,48%  no mesmo período de dezembro.

Por sua vez Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que responde por 10 por cento do IGP, registrou variação positiva de 0,08%, desacelerando ante alta de 0,36% na primeira apuração de dezembro.

O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação de 0,17%, ante 0,27% anteirormente. O índice que representa o custo da Mão de Obra não variou na primeira prévia de janeiro, contra alta de 0,43% no mês anterior.

Além de medir a evolução do nível de preços, o IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel. A primeira prévia do IGP-M calcula as variações de preços no período entre os dias 21 e 31 do mês de dezembro.