Incêndio no TRT-RJ pode ter causado a perda de até 17 mil processos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 16 de abril de 2002 as 16:54, por: cdb

O Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho, ministro Ronaldo Lopes Leal, irá nesta quinta-feira ao Rio de Janeiro para acompanhar o trabalho de restauração dos processos destruídos pelo incêndio que atingiu, em fevereiro, quatro andares do prédio onde funcionava o Tribunal Regional do Trabalho no estado (TRT). O cálculo é de que entre 10 mil e 17 mil processos tenham sido perdidos.

Segundo Leal, cerca de 100 mil pessoas, entre partes e advogados, foram prejudicadas com o incêndio. Leal sugerirá que o TRT crie uma comissão executora de restauração, preferencialmente composta por juízes de Varas do Trabalho, convocados especificamente para proceder aos atos administrativos.

O corregedor receberá representantes da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Rio de Janeiro (OAB), da Associação Carioca dos Advogados Trabalhistas e do Sindicato dos Advogados.

Leal também se reunirá com todos os juízes do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro. “Onde estiver alguma peça de processo perdida nós vamos buscar, desde que esteja sob custódia de órgão judiciário trabalhista. Nossa grande esperança era os computadores, mas já fui informado de que os computadores das secretarias de turmas também foram queimados”, afirmou Leal.

A coleta de todos os documentos que se encontram sob custódia da Justiça do Trabalho será feita por ofício. Já as cópias de peças e documentos que estiverem em posse das partes serão requisitadas por meio de notificação aos interessados.