Incêndio mata 10 e deixa 23 feridos em asilo dos EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de fevereiro de 2003 as 16:48, por: cdb

Um incêndio deixou pelo menos 10 pessoas mortas num asilo para idosos no Estado norte-americano de Connecticut enquanto equipes de resgate tentavam resgatar os mais de 100 internos do local.

Autoridades locais comentaram que o incêndio, que também deixou 23 feridos, teve origem suspeita e um interno está sendo interrogado pela polícia.

O fogo no Centro de Saúde Greenwood, em Hartford, capital do Estado, começou por volta das 2h30 locais. Muitos dos internos estavam confinados à cama ou usam cadeira de rodas. Outros são cegos ou deficientes mentais.

“Ao chegarmos lá, ficou claro que toda a ajuda seria necessária”, disse Charles Teale, chefe do Corpo de Bombeiros de Hartford. “Não é apenas o fogo que mata; a fumaça também.”

Teale esclareceu que 23 pessoas foram levadas a hospitais próximos, 10 delas em estado grave. Os bombeiros resgataram aproximadamente 100 pessoas. Ao todo, cerca de 150 viviam no local.

Durante entrevista coletiva ao lado de Teale e outras autoridades locais no Paço Municipal, o prefeito Eddie Perez disse que o incêndio, limitado à ala sudeste do prédio, “foi certamente o mais grave ocorrido em Hartford nas últimas décadas”.

O bombeiro William Abbott disse que o prédio não possuía sistema de combate a incêndio, mas a legislação não obrigava a instalação do mesmo. O asilo possuía apenas extintores de incêndio, todos em estado regular, disse ele.

Investigadores estaduais e municipais foram ao local e as autoridades disseram que um interno estava sendo interrogado.

Teale recusou-se a falar sobre a possível causa do incêndio, mas declarou: “Temos pistas interessantes sobre o incêndio. Temos alguém sob custódia no momento”

Familiares dos internos chegaram rapidamente ao local para ver se seus entes queridos estavam bem ao mesmo tempo em que moradores da região, confusos, foram vistos buscando abrigo.

Uma mulher procurava por sua mãe e subia a rua do asilo gritando: “Cadê o incêndio? Cadê o incêndio?”

Jolie Marrero procurava por seu tio Juan Sanchez, de 54 anos. “Mesmo que ele quisesse fugir, não poderia. Ele é cego!”, disse ela.