Imigrantes presos no EUA voltam em 15 dias para o Brasil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de janeiro de 2004 as 11:32, por: cdb

Em 15 dias, cerca de 200 imigrantes brasileiros que estão presos nos Estados Unidos devem retornar ao país. A decisão foi acertada na reunião desta segunda-feira entre o cônsul brasileiro em Houston, Carlos Alberto de Azevedo Pimentel; o funcionário do Departamento de Segurança Interna dos EUA que acompanha a deportação, John O’Malley; o deputado João Magno (PT-MG) e o senador Hélio Costa (PMDB-MG).

A diligência da comissão externa do Congresso Nacional encarregada de acompanhar a situação dos brasileiros presos por imigração ilegal prossegue hoje em Harlingen, no Texas, com a participação do senador Marcelo Crivela (PL-RJ) e do chefe da Divisão Jurídica do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, ministro Manuel Gomes Pereira.

De acordo com o deputado João Magno, outros contingentes de imigrantes brasileiros devem chegar nas semanas seguintes. Ontem, os parlamentares visitaram o centro de detenção Corretions Corporation of America, de Houston, onde mantiveram contatos diretos com duas brasileiras e 23 brasileiros detidos pelo Serviço de Imigração dos Estados Unidos.

– Em geral, os brasileiros reclamam da alimentação ruim e do tratamento recebido durante a remoção para as cadeias, quando os detentos têm as mãos e os pés acorrentados – relatou o parlamentar.

Na opinião do deputado, o primeiro dia de trabalho foi muito proveitoso, sendo possível comprovar a difícil situação dos imigrantes brasileiros detidos por se aventurarem a entrar ilegalmente nos Estados Unidos.

– De acordo com informações do Serviço de Imigração norte-americano, cerca de 20 mil pessoas do mundo inteiro ingressam diariamente naquele país. Aproximadamente 1,5% são brasileiros, e o nosso serviço consular não tem estrutura suficiente para prestar o atendimento necessário a essa demanda – avalia João Magno.

Pelo acordo feito com as autoridades do Serviço de Imigração dos Estados Unidos, o avião deverá fazer escalas especiais em Belo Horizonte e Goiânia, visto que provém de Minas Gerais e de Goiás a grande maioria dos brasileiros detidos.