IGP-DI volta a subir em agosto e tem maior alta desde março

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 11 de setembro de 2003 as 10:36, por: cdb

Após três meses seguidos de deflação, o Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (IGP-DI) voltou a mostrar taxa positiva em agosto, influenciada pelo aumento nos custos de produtos agrícolas e pela pequena alta do dólar no período.

O IGP-DI subiu 0,62 por cento após uma queda de 0,20% em julho, segundo os dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgados nesta quarta-feira. Foi a maior alta desde março, quando o IGP-DI subiu 1,66%.

O índice apurado pela Fundação soma-se a uma série de índices de preços que mostraram alta em agosto, como previram economistas, por causa das pressões de tarifas e do período de entressafra de alguns produtos agrícolas.

“A alta da inflação está mais ligada a fatores de oferta do que de demanda. A demanda continua muito fraca. O índice foi afetado pelo câmbio e pela entressafra, mas é algo que não compromete, não vai perdurar”, disse a jornalistas Salomão Quadros, coordenador dos índices de preços da Fundação.

Os produtos agrícolas no atacado, que caíram 0,42% em julho, subiram 1,77% em agosto. Apesar disso, os itens agrícolas ainda acumulam queda no ano, de 1,16%.

Já a alta do dólar em agosto provocou uma aceleração dos produtos industriais também no atacado, de 0,29%, explicou Quadros. Em julho, esses produtos haviam caído 0,76%.

De acordo com o economista da FGV, prova de que a demanda continua desaquecida é o fato de que os preços dos eletrodomésticos continuam recuando, assim como os materiais e serviços, que permanecem em desaceleração.

“A deflação na ponta da cadeia mostra que a economia está desaquecida e a subida de agosto não compromete”, disse ele, acrescentando que o resultado do IGP-DI não deverá impedir um novo corte de juros pelo Banco Central na próxima semana.

Considerando os três componentes do IGP-DI, o Índice de Preços no Atacado (IPA), que pesa mais no IGP-DI, subiu 0,70% após uma queda de 0,59% em julho.

Os preços no varejo, medidos pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC), subiram 0,13%, inferior à alta de 0,34% observada no mês anterior.

O núcleo da inflação do IPC medido pela FGV – que exclui as maiores e menores variações de preços – atingiu 0,45% no mês passado, comparado a uma taxa de 0,53% em julho. Foi o menor resultado para o núcleo desde julho do ano passado.

O Índice Nacional do Custo de Construção (INCC) subiu 1,44%, ante um avanço de 0,99% em julho, por causa de dissídios no Rio de Janeiro e São Paulo. Com o resultado de agosto, o IGP-DI acumula no ano uma alta de 4,96% e, em 12 meses, de 22,03%.