Ídolos, campeões na década de 1960 mandam recado aos meninos da Vila

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 22 de junho de 2011 as 07:47, por: cdb

Quase 49 anos após o primeiro título da Copa Libertadores da América, o Santos receberá, nesta quarta-feira, o Peñarol no Pacaembu. A equipe do litoral paulista fez um bom resultado fora de casa e terá a volta do meia Paulo Henrique Ganso, uma das estrelas  do elenco ao lado de Neymar e Elano para a partida decisiva do torneio sul-americano.

Para conter o nervosismo dos craques de hoje, ídolos do passado mandaram um recado aos comandados de Muricy Ramalho. Artilheiro do time na campanha de 1962 com seis gols, Coutinho foi direto e conciso. “Não tem muito o que falar. Só quero que eles ganhem”.

Pepe, que marcou quatro gols na vitoriosa campanha de 1962, pediu calma para que o elenco não entre na provocação dos uruguaios. “Certamente eles estão seguros com o Muricy, mas como estive na mesma situação há anos, peço que eles tenham tranquilidade e não levem cartão vermelho. Se o Santos tiver um jogador expulso perderá a superioridade em campo. Por isso, é fundamental não entrar em atrito e nem discutir com a arbitragem”, receitou o canhão da Vila.

O Santos precisa de uma vitória simples para levantar a taça diante de sua torcida. Os torcedores, que esgotaram os 40 mil ingressos colocados à venda, encontrarão os portões abertos a partir das 19h. Idosos e menores de idade cadastrados no site do Santos entrarão pelo Tobogã. Portadores de necessidades especiais devem fazer o acesso pelo Portão 13 (Cadeira Especial Laranja).