IBGE: Inflação em 2006 fica abaixo da meta definida pelo CMN

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 8 de janeiro de 2007 as 11:14, por: cdb

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) só vai divulgar o número final da inflação de 2006 no próximo dia 12, mas uma pesquisa semanal que o Banco Central (BC) faz junto a analistas de mercado todas as sextas-feiras reafirma, pela quarta semana seguida, que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 3,11%. Bem abaixo, portanto, da meta de 4,5% definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

De acordo com a primeira pesquisa do ano para ouvir as tendências do mercado sobre os principais indicadores da economia, divulgada nesta segunda-feirapelo Banco Central, o IPCA deste ano também será menor que a meta oficial de inflação, devendo ficar em torno de 4%.
Segundo o Boletim Focus, que traz os resultados da pesquisa, a inflação deste mês ficará em 0,45% – resultado principalmente dos reajustes escolares – mas deve cair para 0,40% no mês que vem.

O número estimado para o IPCA, que serve de parâmetro para as metas oficiais, está em linha com os 3,97% calculados pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (Fipe) da Universidade de São Paulo (USP) para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) na capital paulista, este ano.

É igual também aos 4% estimados pelos analistas para os preços administrados por contrato ou monitorados (combustíveis, energia elétrica, telefonia, transporte urbano e outros). As perspectivas são de que os preços no atacado sejam mais altos que no varejo, a exemplo do que aconteceu em 2006, quando ficaram próximos de 3,90%.

De acordo com projeções da Fundação Getúlio Vargas (FGV) para 2007, os dois índices pesquisados ficarão levemente acima do IPCA: o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) em 4,29% e o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) em 4,30%.