Hungria tem manifestações a favor e contra a legalização da maconha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de maio de 2003 as 00:39, por: cdb

Vaias, ovos e tomates atiraram contra os participantes da primeira manifestação a favor da legalização das drogas leves na Hungria, que aconteceu no domingo na capital Budapeste.

A manifestação foi regularmente anunciada pela Associação Semente de Cânhamo, que pedia a não punição pelo uso da maconha (cannabis), mas o Movimento pela Hungria Livre e diversos grupos cívicos de direita organizaram outra paralela e contrária.

A polícia tentou de manter os dois grupos de manifestantes distantes um do outro na praça central Vorosmarty, mas, apesar de todos os esforços, houve brigas e muitas confusão.

O escritor Gyoergy Konrad e o diretor Miklos Jancso, dois defensores da legalização dos entorpecentes leves, nem conseguiram falar por causa dos gritos e vaias contínuos. A polícia acabou forçando o encerramento do comício uma hora antes do previsto.

A lei em vigor na Hungria pune não apenas quem vende e difunde os entorpecentes, como também os consumidores que, quando pegos em flagrante, são presos.