HSBC encerrará suas atividades no Brasil e cortará empregos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 9 de junho de 2015 as 14:34, por: cdb

O HSBC cortará quase 50 mil postos de trabalho e reduzirá seu banco de investimentos, diminuindo os ativos do maior banco europeu em um quarto em uma medida para simplificar e melhorar sua lenta performance.

HSBC
Os cortes deixarão o HSBC com o equivalente a cerca de 208 mil funcionários em tempo integral até 2017

O banco disse nesta terça-feira que cerca de metade dos cortes de postos de trabalho virão das vendas dos negócios no Brasil e na Turquia. A outra metade virá de um corte de cerca de 10% do restante dos seus 233 mil funcionários com a consolidação de operações de tecnologia da informação e departamentos administrativos e o fechamento de agências bancárias. Por volta de 7 mil a 8 mil cortes são esperados na Grã-Bretanha.

Os cortes deixarão o HSBC com o equivalente a cerca de 208 mil funcionários em tempo integral até 2017, ante 295 mil no fim de 2010 e 258 mil no fim de 2014, embora o banco tenha dito que fará contratações em negócios em crescimento e em sua divisão de compliance.

A iniciativa é parte de uma segunda tentativa do presidente-executivo, Stuart Gulliver, de elevar os lucros desde que o executivo assumiu o comando do banco no início de 2011. Sua tentativa anterior foi frustrada por altos custos com compliance, multas, baixas taxas de juros e crescimento lento.

Além disso, o HSBC disse que cortará seus ativos em uma base ajustada pelo risco (RWA) em 290 bilhões de dólares até 2017. Isso incluirá uma redução de um terço, ou US$140 bilhões, na divisão de global banking e markets (GBM), seu banco de investimentos. Isso significa que a GBM responderá por menos de um terço do balanço do HSBC, ante 40% atualmente.

O HSBC confirmou que planeja vender os negócios na Turquia e no Brasil, acrescentando que manterá alguma presença no mercado brasileiro para atender clientes corporativos. O banco pretende revisar negócios com performance mais baixa no México e nos Estados Unidos para melhorar os retornos.

O banco disse que também mira o crescimento na Ásia ao expandir seu negócio de seguros e sua presença na região chinesa do Delta do Rio das Pérolas.

HSBC no Brasil

O HSBC informou nesta terça-feira que continua operando normalmente no Brasil e que manterá no futuro os serviços aos clientes. Em nota para tranquilizar os clientes, o banco confirmou que está em processo de venda de ativos e não de encerramento de suas operações no país.

Hoje, o HSBC Holdings confirmou, em Londres, que pretende vender a sua operação no país, mas planeja manter presença no Brasil para atender aos clientes corporativos de grande porte em suas necessidades internacionais.

– O HSBC está empenhado em garantir a continuidade do negócio e uma transição suave e coordenada para um potencial comprador – informou o banco em nota. HSBC Brasil é parte da HSBC Holdings, com US$ 2,6 trilhões em ativos e mais de 51 milhões de clientes em 73 países.

O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal, evitou comentar a venda do HSBC. No evento de lançamento do plano de concessões no setor de infraestrutura, nesta terça-feira, Portugal disse que essa é uma decisão de foro privado da instituição financeira.