HP se torna a maior fabricante mundial de computadores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 19 de outubro de 2006 as 12:36, por: cdb

A Hewlett-Packard recuperou a condição de maior fabricante mundial de computadores pessoais da rival Dell no terceiro trimestre, afirmaram dois grupos de pesquisa. O Gartner informou que a HP ficou na primeira posição do ranking pela primeira vez desde o quarto trimestre de 2003, com liderança de 110 mil unidades sobre a Dell. Enquanto isso, levantamento da IDC mostra que a liderança ficou em 28 mil unidades, o que é considerado um empate estatístico com cada uma tendo 17,2% do mercado mundial.

As pesquisas ressaltaram o momento vivido pela Dell, que está registrando resultados financeiros decepcionantes e sofrendo revés gerado pelo maior recall de produtos eletrônicos da história dos Estados Unidos. Enquanto isso, a HP está recuperando seus negócios após a recente entrada de Mark Hurd na presidência-executiva da companhia.

As vendas mundiais de PCs caíram 7,9% em relação ao ano passado. Um recuo de 0,7% nos Estados Unidos ofuscou expansões de dois dígitos na Europa, informou a IDC no relatório trimestral.

– No mercado norte-americano, o foco continua sendo a transição de desktops para notebooks, com o crescimento de notebooks sendo o único ponto positivo de destaque em um momento de queda nas vendas de PCs de mesa. O impacto da queda da Dell foi particularmente agudo nos Estados Unidos e levou a um encolhimento do mercado em relação ao mesmo período do ano passado – disse o analista Bob O’Donnell, da IDC, à agência inglesa de noticias Reuters.

No trimestre, as vendas mundiais da HP subiram 15,1%, enquanto as da Dell avançaram 3,6%, segundo dados da IDC. O Gartner informou que a HP teve boa performance em todas as regiões e registrou vendas totais de 59,1 milhões de unidades no terceiro trimestre, aumento de 6,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Para a empresa de pesquisa, o mercado norte-americano recuou 2%.

Segundo o Gartner, a última vez que o mercado dos Estados Unidos sofreu uma queda nas vendas de PCs foi no segundo trimestre de 2002. A empresa citou como motivos a contínua fraqueza no segmento de banco de dados profissional e o efeito das fortes vendas do segundo trimestre.