Hospitais lotados em Bagdá, afirma Cruz Vermelha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 6 de abril de 2003 as 15:58, por: cdb

O número de mortos pela guerra em Bagdá é tão alto que os hospitais deixaram de contar o número de pessoas que atendem, informou neste domingo o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

“Ninguém é mais capaz de levantar estatísticas precisas sobre feridos de guerra atendidos e transferidos, pois chega aos hospitais de Bagdá uma emergência atrás da outra”, disse o CICV.

O organização internacional operada pela Suíça – a principal agência de ajuda humanitária que ainda atua no Iraque – não forneceu cifras sobre mortos nem confirmou os números fornecidos pelo Comando Central dos EUA, que afirma que entre 2.000 e 3.000 iraquianos morreram durante a incursão de veículos blindados americanos a Bagdá realizada no sábado.

“Todos os hospitais trabalham sob pressão e o pessoal médico atua sem descanso”, afirmou o CICV. “Apesar da atividade intensa e desesperada, o pessoal hospitalar continua tentando controlar a situação”.

Advertiu que os hospitais necessitam urgentemente de mais água. Devido ao corte geral de energia elétrica em Bagdá, agora a maioria dos hospitais e das instalações de água trabalham com geradores próprios.

Afirmou que está recebendo muitas solicitações de equipes de atendimento, reparações de instalações e fornecimento de água.

O comitê acrescentou ainda que os delegados da Cruz Vermelha que chegaram à cidade de Basra, no sul do país, informaram que ali a situação está sob controle de modo geral, e não foi detectada a existência de epidemias. Mas mencionou que teme o pior para outros hospitais fora da área de Bagdá e Basra.