Hospitais de Bagdá estão operando de modo reduzido, diz Cruz Vermelha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 22 de abril de 2003 as 18:57, por: cdb

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) anunciou que os hospitais de Bagdá estão retomando lentamente suas atividades após os bombardeios e saques ocorridos desde que o país foi ocupado. “Os hospitais estão novamente operando, embora de modo reduzido, devido aos enormes danos provocados principalmente pelos saqueadores, mas também pelas operações militares”, declarou à imprensa a porta-voz do CICV, Antonella Notari.

“A eletricidade foi parcialmente restabelecida em Bagdá, o que melhorou significativamente a situação da segurança na capital iraquiana”, acrescentou a porta-voz, ao mesmo tempo que indicou que a higiene das instalações continua precária, devido sobretudo ao mau funcionamento do sistema de esgotos.

Tais dificuldades também foram denunciadas pela organização humanitária francesa Primeira Urgência, que visitou os 30 hospitais da capital iraquiana. Muitos hospitais foram obrigados a enterrar corpos em seus jardins, o que provocou o aparecimento de ratos.

Segundo a ONG francesa, dois dos 30 hospitais da cidade ainda estão paralisados, um terceiro foi alvo direto ou indireto das tropas americanas e um quarto foi saqueado após a entrada das forças da coalizão em Bagdá.

Sete estão sob vigilância dos soldados americanos da Terceira Divisão de Infantaria, enquanto que os demais estão sendo controlados por civis que montam guarda com fuzis Kalashnikov.

As agências humanitárias da ONU reiteraram que seus colaboradores continuam à espera de autorização para entrar no Iraque – algo que não foi dado nem durante a guerra e nem tampouco agora, pelas forças vitoriosas.