“Homem não aprendeu a lição”, diz Fidel Castro em visita à Hiroxima

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 3 de março de 2003 as 11:25, por: cdb

O presidente de Cuba, Fidel Castro, afirmou nesta segunda-feira, que a humanidade “não aprendeu a lição”, durante uma visita a Hiroxima, uma das duas cidades japonesas bombardeadas com armas atômicas.

Este é o terceiro dia da visita não-oficial de Castro ao Japão, após concluir uma viagem oficial pelo Vietnã, Malásia e China.

Em sua reunião com o governador da província, Yuzan Fujita, e o prefeito, Tadatoshi Akiba, Fidel Castro disse ter tomado conhecimento do Holocausto de Hiroxima quando era estudante pelo rádio, meio pelo qual acompanhava as notícias da II Guerra Mundial e da Guerra Civil espanhola.

“Nunca. A história humana não deve viver nunca o que os senhores viveram”, afirmou Castro.

Fidel Castro acrescentou que, mesmo passados 58 anos daquele terrível episódio, que transformou a cidade em cinzas, “Hiroxima não foi a lição para que os países abandonem o desenvolvimento de armas nucleares”.

“Hoje, milhares de armas pequenas e grandes continuam sendo desenvolvidas e o homem não aprendeu a lição”, criticou.

Embora sem citá-la literalmente, o governante mencionou a crise dos mísseis de 1962, entre Cuba e Estados Unidos pelo envio de foguetes antiaéreos russos na ilha caribenha, o que quase criou um conflito mundial de proporções inimagináveis.

“17 anos após Hiroxima, nós também estivemos a ponto de ser vítimas de uma chuva atômica, mas felizmente não foi assim”, lembrou.

Em nenhum momento, Fidel citou os EUA, país que lançou a bomba atômica sobre Hiroxima, em 6 de agosto de 1945. “Tenho opiniões sobre a moral, mas não vou dizê-las, porque este não é o lugar adequado para falar de política”, ressaltou.

Fidel Castro também deverá visitar o museu dos Horrores da Guerra e o Parque da Paz, que conservam restos do Holocausto nuclear, e volta para Cuba ainda nesta segunda-feira.