História pode ajudar Uruguai na Copa, diz técnico

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de abril de 2010 as 11:55, por: cdb

A bola da final da primeira Copa do Mundo, vencida pelo Uruguai contra a Argentina, é o objeto que primeiro chama a atenção no Museu do Futebol do Estádio Centenário, em Montevidéu.

Feita com 36 partes de couro duro, bastante envelhecida, e protegida por uma caixa transparente, a bola é cercada por uma série de fotos, recortes de jornais e chuteiras com mais de 80 anos — época em que a seleção celeste era uma potência mundial, com dois títulos olímpicos e duas Copas do Mundo vencidas entre 1924 e 1950.

O técnico da equipe para a Copa de 2010, Oscar Tabárez, no entanto, acredita que sua equipe, representando a pequena nação de 3,5 milhões de habitantes, pode voltar a ter momentos de glória na África do Sul.

– Acho que estamos no caminho certo e temos ideias claras do que é uma Copa do Mundo – disse o treinador, de 63 anos, em entrevista à Reuters ao lado de toda a memorabília.

– Meus jogadores sabem o que significa uma Copa do Mundo e vão ter essa noção no momento certo – completou.

O Uruguai está no Grupo A do Mundial, ao lado da França, da anfitriã África do Sul e do México.

Tabárez, que também treinou a seleção na Copa do Mundo de 1990, quando perdeu para a anfitriã Itália na segunda fase, disse que pode tirar proveito dessa experiência e melhorar a preparação de sua equipe para a África do Sul.

– Até agora, nas Copas do Mundo desde 1970, não fomos bem nos Mundiais, então essa é uma nova chance para tentar melhorar – disse ele em referência à semifinal alcançada pela equipe no Mundial do México.

– Estamos certos que vamos estar desde a primeira partida em forma para cumprir nossa expectativa, que fundamentalmente é passar da primeira fase. Mas isso será difícil, porque qualquer um dos quatro times têm potencial e podem ser eliminados, o que eu não vejo nos outros grupos – acrescentou.

Tabárez lembrou que as Copas do Mundo sempre têm suas surpresas, citando a Coreia do Norte em 1966, Camarões em 1990, Croácia em 1998, Turquia e Coreia do Sul em 2002.

– Até agora, nenhuma surpresa conquistou o título mundial… esperamos que a gente possa ser uma surpresa. Se nós formos, teremos algo que as outras surpresas não têm devido à nossa história – disse.