Hepatite C vai infectar meio milhão de australianos antes de 2020

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 13 de junho de 2003 as 10:44, por: cdb

A hepatite C irá infectar meio milhão de australianos antes de 2020, segundo um relatório científico publicado hoje, sexta-feira, no jornal local The Australian.

O estudo foi elaborado em novembro passado por especialistas independentes a pedido do departamento de Saúde do Governo australiano, mas segundo o jornal, os alarmantes resultados foram ocultados pelas autoridades.

A forte expansão da doença se deve “ao uso de drogas e a falta de recursos estatais necessários para evitar este ‘urgente’ problema de saúde”, indica o relatório.

Após a publicação dessas revelações no diário, a ministra da Saúde australiana, Kay Patterson, disse através da rádio ABC que “o governo necessita de tempo para digerir as novas informações” e irá comunicá-las ao público em breve.

O vírus da hepatite C se transmite principalmente através das relações sexuais, o uso compartilhado de agulhas hipodérmicas ou a transfusão de sangue.

O diretor da Clínica de Saúde Sexual de Nova Gales do Sul, Robert Finlayson, alertou hoje que foi registrado um forte incremento na transmissão de doenças por via sexual, especialmente a sífilis, a gonorréia e a clamídia.

No mês passado, a Federação Australiana de Organizações contra a Aids revelou que no último ano vários estados australianos registraram um aumento de 20 por cento nos casos desta doença.

A hepatite C está se convertendo em uma ameaça mundial, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), já que anualmente infecta entre quatro e cinco milhões de pessoas e se calcula que outras 150 milhões estejam com a doença no mundo.