Hemocentros iniciam operação especial para os Jogos Olímpicos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 4 de agosto de 2016 as 14:55, por: cdb

A ideia central com a realização das campanhas nacionais é que se constitua uma cultura solidária de doação de sangue e que essa doação aconteça de forma espontânea

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

 

Estoques de sangue estão sendo atualizados diariamente pelas unidades estaduais ao Ministério da Saúde. Estratégia visa garantir a preparação da rede do Rio de Janeiro para situações de contingência

Hemocentros brasileiros iniciaram nesta semana uma estratégia especial para a garantia dos estoques de sangue durante o período dos Jogos Olímpicos no Brasil. A partir de agora, cada unidade estadual vai informar diariamente a quantidade de bolsas existentes nos seus estoques, permitindo, assim, o remanejamento para situações de contingência no Rio de Janeiro e nas cidades-sede dos jogos de futebol. Além disso, o Ministério da Saúde recomenda a manutenção das doações, possibilitando o reforço dos bancos nacionais, especialmente nos locais de prova.

Estoques de sangue estão sendo atualizados diariamente pelas unidades estaduais ao Ministério da Saúde
Estoques de sangue estão sendo atualizados diariamente pelas unidades estaduais ao Ministério da Saúde

A estratégia é similar à que foi empregada durante a Copa das Confederações e a Jornada Mundial da Juventude, em 2013, e a Copa do Mundo, em 2014. Nessas ocasiões, quando houve a necessidade de reforço nos estoques de algum estado, a Hemorrede Pública Nacional promoveu o deslocamento das bolsas, com base nas informações atualizadas de cada hemocentro coordenador.

Nos Jogos Olímpicos, o transporte de bolsas de sangue para o Rio de Janeiro e para as cidades-sede, caso seja necessário, será realizado por meio aéreo ou terrestre, dependendo da distância do estado que fornecerá os hemocomponentes e da avaliação da logística que melhor atenda cada caso.

O monitoramento dos bancos de sangue será feito pela Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, com base na atualização dos hemocentros sobre a quantidade armazenada. Por meio do sistema Hemovida Ciclo do Sangue – Módulo Gerenciamento de Estoque para Grandes Eventos. O Brasil conta com 32 hemocentros coordenadores, sendo um em cada estado, à exceção de São Paulo, que possui seis unidades.

O Ministério da Saúde informa que o Brasil é um dos poucos países que têm taxa de doação de sangue acima da recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de que pelo menos 1% da população do país seja doadora. Em 2015, a taxa preliminar de doação de sangue para cada mil habitantes no Brasil foi de 19,83, o que representa 1,9% da população. Ao todo, dados prévios indicam que houve a coleta de 3,7 milhões de bolsa no período, sendo que 93% dessa quantidade foram coletados nas unidades próprias e contratadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Embora o sistema brasileiro seja uma referência internacional, o Ministério da Saúde reforça que é fundamental a manutenção e a ampliação permanente das doações, especialmente em períodos de realização de eventos de massa, pois a disponibilidade de sangue coletado é essencial para os atendimentos de urgência, a realização de cirurgias eletivas de grande porte e o tratamento de pessoas com doenças, além das oncológicas que necessitam de transfusão frequentemente.

O Ministério da Saúde investe para que as doações aconteçam de forma espontânea e habitual, independente das características individuais e de o doador conhecer ou não a pessoa que precisa de sangue. Nesse sentido, são realizadas as Campanhas Nacionais de Doação de Sangue que têm por objetivo sensibilizar doadores em potencial a se tornarem doadores regulares de sangue, assim como fidelizar doadores de sangue esporádicos. O Dia Nacional do Doador de Sangue é celebrado em 25 de novembro. No mesmo mês é realizada a Campanha Nacional de Doação de Sangue, em data a ser definida.

A ideia central com a realização das campanhas nacionais é que se constitua uma cultura solidária de doação de sangue e que essa doação aconteça de forma espontânea. A campanha não tem um público-alvo específico, porque visa difundir a importância da doação de sangue de forma geral, para populações variadas.

Em termos de campanhas nacionais, o Ministério da Saúde promove campanhas anuais para promover a doação de sangue de alcance nacional. Além disso, há divulgação permanente da doação de sangue na página do Facebook da doação de sangue do Ministério da Saúde www.facebook.com/DoeSangueMS. Somado a isso, há qualificações regulares para os profissionais envolvidos com a promoção da doação de sangue nos hemocentros, para que suas ações incentivem mais pessoas a doar sangue.