Haroldo Rodrigues faz sua última sessão como julgador da Sexta Turma

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de agosto de 2011 as 12:35, por: cdb

O desembargador convocado Haroldo Rodrigues, do Ceará, participou nesta terça-feira (23) de sua última sessão de julgamentos na Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e foi homenageado pelos colegas. Ele chegou ao STJ, em 2009, convocado pelo então presidente, ministro Cesar Asfor Rocha, para agregar esforços. “Nessa desgastante guerra em prol da Justiça, somos bravos e incansáveis combatentes”, declarou a presidenta da Turma, ministra Maria Thereza de Assis Moura, lembrando os mais de 40 anos do desembargador dedicados à magistratura.

A ministra afirmou que o desembargador, saudado na chegada ao STJ pelo ministro Og Fernandes como “peregrino da Justiça”, vai deixar uma lacuna, mas continuará a colher o fruto desejado que é a harmonia entre os homens. “Que, na contramão da lacuna aqui deixada, o retorno às raízes lhe traga muitas alegrias”, acrescentou. O representante do Ministério Público corroborou as palavras da ministra.

Falando em nome dos colegas, o advogado Eduardo Ferrão lembrou o respeito e a admiração que o desembargador granjeou entre a classe e os jurisdicionados, por ser “um homem raro, de coragem, diferenciado; daqueles que, na classificação ética e moral, costuma-se rotular de imprescindíveis para o seu tempo, para o seu momento e para o seu lugar”. Concluiu a homenagem recitando trechos do poema “Cabra da Peste”, do poeta cearense Patativa do Assaré.

Emocionado, Haroldo Rodrigues agradeceu às manifestações, recordando inclusive a solidariedade recebida dos colegas quando perdeu o filho mais velho. Após saudar o ministro Nilson Naves – ex-presidente do STJ, também presente à sessão – como uma das maiores expressões da cultura jurídica do Tribunal, citou Cora Coralina, lembrando que o que vale na vida não é o ponto de partida, mas, sim, a caminhada.

O desembargador agradeceu ainda pelo convite do ministro Cesar Rocha para integrar o STJ, fato que atribuiu não aos seus méritos, mas à providência divina que nunca o abandona. Parafraseando o marechal do ar Casimiro Montenegro Filho, afirmou que ninguém faz nada sozinho. “Sempre trabalhei em equipe. Se algum merecimento tenho, foi ter sabido despertar em meus companheiros o entusiasmo, delegar-lhes autoridade com responsabilidade, exortá-los ao pleno uso de suas potencialidades e qualidades em proveito do povo brasileiro”, concluiu.

Haroldo Rodrigues retorna agora ao cargo de desembargador no Tribunal de Justiça do Ceará, até a aposentadoria, em setembro.