Hackers e vírus usam guerra como tema

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 30 de março de 2003 as 18:32, por: cdb

A guerra com o Iraque desencadeou uma série de protestos de hackers na Internet, além de novos vírus baseados no tema e ataques aos sites diretamente relacionados aos interesses dos Estados Unidos, Inglaterra e Austrália. Apesar disso, a previsão de novos worms devastadores ainda não se materializou.
Dois novos worms foram descobertos nas últimas semanas com temas relacionados ao Iraque. O primeiro deles, chamado Prune, chega por e-mail em mensagens com o assunto “US Government Material – Iraq Crisis.” Um anexo nomeado UN_Interview.txt.vbs contém o worm em script Visual Basic, que se multiplica por e-mails e redes compartilhadas, de acordo com a empresa de segurança F-Secure.

O segundo vírus, o Ganda, de origem sueca, se propaga em massa para endereços de e-mails encontrados no Windows Address Book. Ao infectar o sistema, o Ganda interrompe certos processos em execução na máquina da vítima e infecta arquivos executáveis, incrementando-os com 567 bytes.

A F-Secure também registrou cerca de 200 ataques à Web sites nas 48 horas após o início dos bombardeios. Segundo a empresa, nesta sexta-feira (21/03), 1 mil sites foram atacados. As páginas de um setor do Departamento da Agricultura dos Estados Unidos e de um portal da Marinha dos EUA foram hackeados, assim como o Web site do Routeco PLC, um distribuidor inglês de automação industrial e produtos de controle.

Centenas de ataques foram atribuídos à Unix Security Guard (USG), um grupo de hackers pró-islâmicos. Por outro lado, surgiram vários ataques “patrióticos”, promovidos por defensores dos Estados Unidos. Um dos sites atacados – http://www.timeleader.com – mostrou a mensagem “Mate Saddam”.