Guiné-Bissau tem suspeita de febre amarela

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 20 de maio de 2003 as 17:01, por: cdb

Os dados disponíveis sobre a febre hemorrágica detectada em Guiné-Bissau indicam que poderá ser causada pelo vírus da febre amarela, disseram nesta terça-feira fontes ligadas à saúde pública no país.

No entanto, as fontes ressaltaram que a possibilidade de se tratar da febre do Vale do Rift não está excluída.

Um surto de febre hemorrágica mortal foi detectado nos últimos dias em Mansoa, 60 quilômetros a norte de Bissau, mas desconhece-se ainda o número de pessoas infectadas, bem como o número de casos fatais.

Segundo as fontes, os primeiros dados laboratoriais apontam para um aumento significativo da “hemoglobina M” no sangue recolhido dos primeiros doentes e analisados pelo Instituto Pasteur, de Dacar, Senegal.

O aumento da “hemoglobina M”, aliado aos sintomas verificados pelos técnicos nos doentes – hemorragias diversas e urina com sangue – aponta para uma eventual contaminação pelo vírus “amaril”, da febre amarela, cuja taxa de mortalidade é de cerca de 10% nos casos leves e aumenta nas epidemias mais violentas.

Mas existe também a possibilidade de se tratar da febre do Vale do Rift, cujo vírus foi pela primeira vez detectado nesta região do Quênia. A taxa de mortalidade é significativamente mais baixa que a da febre amarela.

Todavia, se for febre amarela, doença endêmica na região Ocidental de África, o combate surge facilitado, porque existe a possibilidade de uma vacinação generalizada da população situada na região onde surgiu a infecção.

Para a febre do Vale do Rift não existe vacina, “embora haja tratamentos em estudo com probabilidades de sucesso”, e o combate à infecção é feito em função dos sintomas, com medicamentos correntes.

Neste momento estão em andamento trabalhos na região para a coleta de novas amostras sanguíneas com o objetivo de esclarecer, com precisão, qual o vírus causador da febre hemorrágica detectada na região de Mansoa.

As fontes admitem, contudo, que o fato de países vizinhos de Guiné-Bissau, como o Senegal, a norte, e Guiné, a sul e leste, terem sofrido epidemias de febre-amarela nos últimos meses, aumenta o grau de probabilidade de ser esta a causa das infecções.

– Mas não podemos deixar de considerar que no ano passado a Mauritânia — a norte do Senegal — teve focos de infecção pela febre do Vale do Rift – alertaram as fontes.