Guerrilheiros da Chechênia invadem teatro em Moscou e ameaçam explodir reféns

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 23 de outubro de 2002 as 19:44, por: cdb

Dezenas de guerrilheiros armados invadiram um teatro na capital russa, Moscou, nesta quarta-feira, e tomaram reféns entre a platéia – formada por centenas de pessoas – e os atores que atuavam no momento do ataque. Os rebeldes armados interromperam a apresentação de Nord-Ost, um dos musicais mais populares na Rússia. Separatistas chechenos que entraram em contato com a BBC disseram que os seqüestradores colocaram explosivos no teatro e estão sendo liderados pelo sobrinho do comandante de milícia checheno Arbi Barayev.

Eles exigem a retirada imediata das tropas russas da Chechênia, e afirmaram que estão dispostos a morrer pela causa. Há notícias de que os seqüestradores disseram que, se as forças de segurança russas tentarem invadir o local, o teatro será explodido.

Celulares

Inicialmente, os seqüestradores permitiram que integrantes da platéia usassem seus telefones celulares para informar o que estava acontecendo, mas depois o uso dos telefones foi proibido.

O teatro é o Palácio da Cultura, no sudoeste da cidade, em um local decadente. A audiência é majoritariamente de trabalhadores.

Ainda não se sabe o número total de reféns, mas o correspondente da BBC em Moscou, Nicholai Gorshkov, disse que o teatro tem capacidade para 500 pessoas.

Há notícias de que crianças e muçulmanos foram libertados. Relatos indicam que entre o grupo armado há homens em uniformes de combate e mulheres de véu. Eles teriam amarrado explosivos aos próprios corpos.

Unidades da polícia foram destacadas para o local.

A área foi isolada e o presidente russo, Vladimir Putin, estaria acompanhando a situação passo a passo.