Guerra no Afeganistão pode começar a qualquer momento

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 1 de outubro de 2001 as 09:22, por: cdb

A primeira investida americana contra o Afeganistão vai ser deflagrada nas próximas 24 horas. É o que afirma o jornal “The Observer”, na edição desta segunda-feira, acrescentando que seriam usados mísseis lançados por aviões para destruir 20 aviões da Força Aérea afegã, além de baterias de mísseis antiaéreos, tanques e outros armamentos da milícia Talebã.

Em reposta aos rumores, o líder supremo do Talebã, mulá Mohammad Omar, desafiou os Estados Unidos e o ex-rei Zaher Shah num discurso na rádio oficial afegã neste domingo. Omar ameaçou dar início a um conflito entre guerrilhas no Afeganistão se o regime Talebã for derrotado.

O plano de ataque teria sido aprovado pelo presidente dos EUA, George W. Bush, e apoiado pelo primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair. Os primeiros alvos seriam campos do grupo terrorista Al-Qaeda, controlado por Bin Laden, nos arredores de Cabul.

– Seria uma investida aérea no centro do território controlado pelo Talebã comandada por helicópteros levados pela 82ª Divisão Aérea americana – diz o jornal, que cita fontes de segurança dos EUA e da Inglaterra.

Osama bin Laden aponta arma em campo de treinamento no Afeganistão
O “The Observer” afirma ainda que há um dossiê secreto elaborado pelo serviço secreto de um país árabe que teria “longo e antigo interesse na rede de terrorismo de Osama bin Laden”. A revelação ganha eco nas declarações do premier britânico, Tony Blair. Nesta manhã, em entrevista à rede de TV BBC, ele afirmou que a Inglaterra tinha “provas incontestáveis” do envolvimento de bin Laden nos atentados contra o Pentágono e o World Trade Center.

– Creio que, definitivamente, o importante é que acabemos com ele e tratemos de fazê-lo de todas as formas possíveis – afirmou Blair, ao ser perguntado se queria bin Laden vivo ou morto.

O premier britânico, que participa neste domingo da conferência anual do Partido Trabalhista, voltou a pressionar e ameaçar o governo afegão:

– Se não estão dispostos a entregar bin Laden – o que poderiam fazer se quisessem – os talebãs vão se transformar em um obstáculo que teremos que remover para agarrar bin Laden.