Guerra na Síria leva mais de 1 milhão a imigrar este ano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 12 de setembro de 2015 as 18:01, por: cdb

Por Redação, com agências internacionais – de Beirute e Damasco:

Mais 1 milhão de pessoas serão deslocadas dentro da Síria até o final do ano se a guerra no país não abrandar, elevando potencialmente o fluxo de refugiados para a Europa, disse o coordenador humanitário da Organização das Nações Unidas na Síria, Yacoub El Hillo.

Um terço dos imigrantes e refugiados que atravessou a Macedônia é formado por mulheres e crianças
Um terço dos imigrantes e refugiados que atravessou a Macedônia é formado por mulheres e crianças

Ele disse que o conflito já havia deslocado um milhão de pessoas dentro da Síria em 2015 até agora, com a intensificação dos combates em grande parte do país, em seu quinto ano de guerra.

Hillo pediu um maior apoio internacional para os esforços de ajuda voltadas a sustentar sírios em seu país, sempre que possível, e advertiu que um inverno rigoroso previsto à frente traria ainda mais dificuldades.

– A menos que algo grande seja feito para resolver este conflito através de meios políticos, o trem humano que começou a se mover para fora da Síria e região continuará ocorrendo durante muitos meses à frente – afirmou El Hillo à agência inglesa de notícias Reuters.

Bombardeio

Enquanto os sírios buscam um refúgio seguro para suas famílias, uma coalizão liderada pelos Estados Unidos bombardeou militantes do Estado Islâmico (EI) na noite passada, com 22 ataques aéreos no Iraque e três na Síria, de acordo com um comunicado divulgado neste sábado.

No Iraque, os ataques aéreos perto de Tuz, Kirkuk, Ramadi, Mosul e outros locais aingiram unidades táticas e posições de combate, bem como destruíram veículos, prédios e armas pertencentes ao grupo militante, disse o comunicado da Força-Tarefa Combinada Conjunta.

Na Síria, dois ataques aéreos alvejaram pontos de coleta de óleo cru do Estado Islâmico perto de Abu Kamal, enquanto um ataque atingiu um veículo Estado Islâmico perto de Al Hasakah, disse o comunicado.

Novo diálogo

Como forma de ajudar o país a superar a invasão do EI, a Alemanha e outras potências da Europa Ocidental precisam trabalhar com a Rússia e com os Estados Unidos para resolver a crise na Síria, afirmou a chanceler alemã, Angela Merkel, neste sábado.

Merkel estava falando antes de uma reunião dos ministros dos Relações Exteriores da Alemanha, Rússia, França e Ucrânia, que acontece em Berlim neste sábado à noite. A Ucrânia deve ser o principal tema na reunião, mas o Ministério das Relações Exteriores em Berlim disse que a questão Síria provavelmente também será discutida.

Rússia pediu na sexta-feira cooperação com os Estados Unidos para evitar “incidentes não intencionais”, conforme encena exercícios navais ao largo da costa da Síria, onde as autoridades dos EUA acreditam que Moscou está construindo forças para proteger o aliado.