Guatemala escolhe presidente neste domingo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 28 de dezembro de 2003 as 09:37, por: cdb

Os guatemaltecos vão às urnas neste domingo para escolher em segundo turno o quinto presidente da nova era democrática, iniciada em 1986 depois de várias décadas de regimes militares.

Os 5.073.282 cidadãos registrados como eleitores estão convocados pelo Tribunal Supremo (TSE) a votar nas 8.885 mesas instaladas nos 331 municípios do país.

Os candidatos que disputam a Presidência neste domingo para um período de quatro anos são o empresário Oscar Berger, da conservadora Grande Aliança Nacional (Gana), e o industrial Álvaro Colom, da centro-esquerdista Unidade Nacional da Esperança (UNE).

No primeiro turno, realizado em 9 de novembro, Berger, de 57 anos, obteve 34,39% dos votos, e Colom, de 52 anos, 26,38%. Berger chega ao segundo turno como favorito, pois segundo as pesquisas tem 58% das intenções de voto, 16 pontos a mais do que Colom.

Desde 1986 tem sido necessária a realização de um segundo turno entre os dois candidatos mais votados, com nenhum dos adversários alcançando no primeiro o nível de 50% dos votos mais um estabelecido pela Lei Eleitoral e de Partidos Políticos para ganhar a Presidência.

Desde então, o vencedor do segundo turno foi o candidato mais votado no primeiro, com exceção de 1990, quando o engenheiro Jorge Serrano Elías, do Movimento de Ação Solidária (MAS), derrotou Jorge Carpio, da União do Centro Nacional (UCN).

No dia 14 de janeiro de 1986, o democrata-cristão Vinicio Cerezo se transformou no primeiro presidente civil da Guatemala, acabando com vários regimes militares que se sucederam no poder mediante fraudes eleitorais e golpes de Estado.

Cerezo obteve no segundo turno 1.133.517 votos (68,37%), contra os 524.306 (31,63%) de seu adversário, Jorge Carpio, e foi o primeiro candidato mais votado da era democrática na Guatemala.

Em 1990, Serrano surpreendeu no segundo turno ao derrotar Carpio, que havia obtido mais votos no primeiro, mas o líder do MAS só ficou dois anos e quatro meses no poder devido a um autogolpe ocorrido no dia 25 de maio de 1993. Em seu lugar o Congresso designou Ramiro de León Carpio para terminar o mandato.

Nas últimas eleições presidenciais, realizadas em 1999, o atual presidente, Alfonso Portillo, venceu no segundo turno. Seu adversário foi justamente Berger, que concorria como candidato do então governante Partido de Avançada Nacional (PAN), mas foi derrotado por 68,32% a 31,68% dos votos.

Portillo entregará o poder no dia 14 de janeiro de 2004 ao vencedor do pleito deste domingo.

Os colégios eleitorais serão abertos às 7h (11h de Brasília) e fecharão onze horas depois. O TSE deve divulgar os primeiros resultados preliminares por volta da meia-noite de hoje.

Os dois candidatos, organizações sociais e a Igreja Católica pediram que os guatemaltecos exerçam o direito ao voto, superando a participação de 57,9% registrada em 9 de novembro.

Vigiam a votação mais de 5 mil observadores, entre eles de organismos como a Organização dos Estados Americanos (OEA) e a União Européia (UE).

Aproximadamente 22 mil agentes da Polícia Nacional Civil (PNC) e mais de 20 ml efetivos do Exército foram posicionados em todo o território para garantir a segurança dos eleitores.