Greve na CPTM: cresce a adesão dos ferroviários a partir desta 5ª em SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 1 de junho de 2011 as 18:55, por: cdb

Greve na CPTM: cresce a adesão dos ferroviários a partir desta 5ª em SP

Sistema de trens deve ficar com seis linhas atingidas. Trabalhadores cobram nova proposta salarial

Por: Leticia Cruz, Rede Brasil Atual

Publicado em 01/06/2011, 19:25

Última atualização às 21:34

São Paulo – Os ferroviários de mais um sindicato aderiram à paralisação iniciada nesta quarta-feira (1º) em quatro linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de São Paulo, que havia decidido manter estado de greve, aderiu ao movimento grevista. Os trabalhadores ligados ao Sindicato dos Ferroviários da Zona Sorocabana e da Zona Central do Brasil decidiram, em assembleia nesta quarta, manter os braços cruzados.

Eles rejeitaram a proposta de 3,27% de reajuste oferecida pela CPTM. Com isso, as linhas 11-Coral (Luz-Estudantes), 12-Safira (Brás-Calmon Viana), 8-Diamante (Júlio Prestes-Itapevi) e 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú) devem seguir paralisadas. As linhas linhas 7-Rubi (Luz-Francisco Morato-Jundiaí) e 10-Turquesa (Luz-Rio Grande da Serra) devem ser atingidas a partir desta quinta-feira (2).

Uma audiência entre a empresa e os sindicatos está marcada para as 11h desta quinta. Segundo a empresa, os ferroviários da Zona Central (linhas 11 e 12) descumpriram determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP) de manter 90% da operação nos horários de pico e 70% no restante do tempo. Segundo a empresa, vinculada à Secretaria dos Transportes Metropolitanos do governo do estado de São Paulo, a linha 12 ficou parada e a linha 11 teve problemas entre as estações Guaianazes e Estudantes, em Mogi das Cruzes.

Segundo a nota, os usuários tiveram de percorrer o trecho Luz-Guaianazes, referente ao Expresso Leste, para seguir, depois, até a estação Estudantes pelo sistema de transporte gratuito com ônibus da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), no período da tarde e da noite. A companhia solicita a usuários que retardem o deslocamentos para evitar horários de pico.

Greve no ABC

O Sindicato dos Rodoviários do Grande ABC (Sintetra) também decidiu continuar a greve dos motoristas de ônibus decretada na terça-feira (31). A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) entrou com medida cautelar no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) 2ª Região para que 80% da frota das linhas intermunicipais circulem na quinta-feira (2).

A categoria reivindica 8% de reajuste no salário, 10% de reajuste no vale-refeição (além de receber durante as férias), participação de lucros e rendimentos de R$ 450 para todos os funcionários e bonificação de R$ 1.500 para os motoristas que fazem função de cobrador.

O setor patronal ainda não apresentou propostas, e o TRT ainda não julgou o dissídio coletivo.

Leia também:

» Sem acordo com a CPTM, linhas de trem seguem paralisadas
» Trabalhadores de transportes entram em greve na Grande São Paulo