Greve da Broadway vira atração turística

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de março de 2003 as 15:58, por: cdb

Foi um fim de semana de silêncio na Broadway. Por conta de uma disputa entre o sindicato dos músicos e o dos produtores de teatro sobre o tamanho mínimo das orquestras de musicais, quase todos os espetáculos foram suspensos na última sexta-feira. Os artistas resolveram apoiar a greve dos músicos, com o que os produtores não tinham contado. Eles planejavam manter as peças em cartaz com músicas gravadas.

No total, 18 musicais não tiveram sessões este fim de semana, inclusive hits como The Producers, Hairspray e “O Rei Leão”. Apenas Cabaret continua em cartaz.

Não havia uma greve na Broadway desde 1975. Os produtores querem diminuir a exigência de 26 músicos para os teatros maiores para algo em torno de 15 profissionais. O sindicato da categoria é contra. Os músicos têm tocado ao vivo nos piquetes, que viraram uma atração turística na região de Times Square.

Prejuízos

Até o momento, ambos os lados não estão nada otimistas quanto às negociações. A associação de produtores não conversa com o sindicato de músicos desde o anúncio da greve, na última sexta-feira.

Segundo os produtores, cada apresentação cancelada tem custado uma média de US$ 1,2 milhão em perdas nas bilheterias. Conforme a secretaria de turismo da cidade, o prejuízo passou de US$ 7 milhões no fim de semana, uma estimativa que inclui queda no movimento em restaurantes, hotéis e até táxis.