Grêmio goleia na Libertadores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 8 de maio de 2003 as 23:57, por: cdb

O Grêmio goleou o Olímpia do Paraguai por 3×0, na noite desta quinta-feira, no estádio Olímpico, em Porto Alegre, e garantiu presença nas quartas-de-final da Copa Libertadores da América. O time gaúcho só precisava do empate, mas jogou ofensivamente, atropelou o adversário e com uma atuação sensacional de Christian confirmou superioridade sobre o mesmo clube que o havia eliminado nas semifinais da edição 2002 da competição.

Ficou claro, desde o primeiro minuto, que seria um jogo aberto e agressivo. Não apenas pelo chute do centroavante Christian, para defesa do goleiro Tavarelli, logo nos primeiros segundos do encontro, mas principalmente porque os instantes iniciais mostravam que as duas equipes estavam decididas a jogar ofensivamente.

O Grêmio ignorava a vantagem de jogar pelo empate e se atirava à frente para decidir de vez o confronto. Já o Olímpia, sem outra alternativa, buscava a vitória com cruzamentos altos para a área do adversário.

Aos 12min Luis Mário acertou o poste direito da meta paraguaia, mostrando que o Grêmio estava mais próximo de abrir o marcador. Essa impressão confirmou-se aos 16min, quando após cruzamento da direita, no rebote, a bola sobrou para Rodrigo Fabri e ele acertou o canto direito, fazendo 1 x 0. Foi o seu primeiro gol no ano 2003.

Christian, aos 21min, aproveitou lançamento para a grande área, matou no peito e, de pé esquerdo, acertou chute rasteiro no canto esquerdo de Tavarelli, ampliando a vantagem gremista. O primeiro gol do centroavante na Libertadores.

O Olímpia, no desespero, não se entregava, mas as tentativas de atacar resultavam em nada. A improdutividade gerava desespero e até violência, tanto que o meia Orteman, aos 27min, desferiu um cotovelaço em Anderson Lima, recebendo por isso um merecido cartão amarelo.

E o Grêmio continuava em cima. Aos 36min, Christian, que fazia sua melhor apresentação desde que chegou ao Grêmio, quase fez o segundo gol, o que não ocorreu porque no seu chute o goleiro do time paraguaio salvou a bola rasteira que entraria no canto inferior direito.

O centroavante ainda tentaria mais uma vez, de cabeça, no último instante da etapa, mas errou. A bola raspou o travessão. Nada que o desestimulasse, tanto que ele declarou ao ir para o vestiário: “As coisas estão acontecendo da forma que eu quero e vou continuar tentando”.

Logo aos 4min do segundo tempo, após grande jogada de Fabri, Christian mostrou que a noite era mesmo dele. Aproveitando o cruzamento da esquerda, jogou-se ao solo e empurrou, com o pé direito, a bola para o fundo das redes do time paraguaio, mostrando ali, com seu segundo gol, que a partida estava decidida.

No desespero o técnico do time paraguaio, Alicio Solalinde, trocou dois jogadores ao mesmo tempo, logo aos 10min. Córdoba e Juan Benítez substituíram, respectivamente, a Alvarenga e Miguel Benítez. Nada que resultasse em uma mudança no destino do encontro, pois o Grêmio continuava mandando no jogo e, nas arquibancadas, a torcida gritava, sem cessar, “olé”.

A partir de tamanha vantagem, o Olímpia não tinha mais nada a fazer em campo. Limitou-se a trocar bolas de forma infrutífera, sem conseguir ameaçar a meta do goleiro Danrlei, tornando o jogo monótono.

Aos 26min, com dores na perna, o herói da noite, Christian, deixou o gramado, substituído por Caio. Aplaudido de pé pelo grande público presente ao estádio Olímpico, ele recebeu o maior apoio desde sua chegada ao Tricolor, em fevereiro.

Para completar a festa, aos 32min o técnico Tite colocou em campo o meia Carlos Miguel, que reestreou no Grêmio, ele que havia sido titular da equipe tricolor quando da conquista da Libertadores de 1995. Contratado no mês passado, sua participação marcou de forma eufórica seu retorno ao clube que o projetou.

E a partida terminou mesmo com o 3 x 0, vitória que representou a vingança do Grêmio em cima do campeão da Libertadores do ano passado, clube que o havia derrotado nas semifinais em 2002.

GRÊMIO 3 X 0 OLÍMPIA

G